• Colesterol: Conheça os 5 alimentos "do mal"

http://4.bp.blogspot.com/
Nem sempre o colesterol é um "inimigo". O cardiologista Mário Sérgio Cerci, do Hospital VITA Batel, lembra que a substância é a base para a produção de hormônios e auxilia na formação da membrana das células do corpo. Além disso, serve como uma capa protetora para os nervos. Ou seja, o colesterol é um tipo de gordura presente nas células muito importante para a saúde e essencial para o bom funcionamento do organismo.
No entanto, um nível elevado de colesterol "ruim"  propicia o desenvolvimento das doenças cardiovasculares. “Alimentação rica em gorduras saturadas, sedentarismo, obesidade, pressão alta, diabetes, tabagismo, fatores genéticos e hereditários estão entre as causas que influenciam para o agravamento de problemas do coração”, explica Cerci.
Segundo Cerci, alguns alimentos precisam ser diminuídos ou até mesmo banidos das refeições para que os níveis de colesterol voltem ao normal - ou permaneçam em níveis aceitáveis.
Confira quais são os alimentos que contribuem para o aumento do colesterol ruim (LDL):
Carnes -  Alguns cortes de carne vermelha possuem muita gordura saturada. Por isso, deve-se optar por cortes magros. Além disso, toda a gordura aparente e também a pele do frango devem ser retirados e preparados na grelha.
Creme de leite - Produtos à base de nata, como manteiga e requeijão, devem ser ingeridos com moderação devido ao alto índice de gordura saturada e colesterol. Geralmente, estão presentes de “forma invisível” em bolos cremosos, doces recheados e pães amanteigados.
Embutidos -  Linguiça, mortadela, presunto, salame e salsichas feitas com carne suína oferecem um exagero de gordura do tipo mais maléfico. Os embutidos menos nocivos são os preparados com carne de peru.
Frituras -  Independente do óleo ou azeite utilizado, as gorduras trans (gordura vegetal que passa por um processo de hidrogenação natural ou industrial) estão presentes nas frituras. Elevam o colesterol ruim (LDL) e diminuem o bom (HDL). Por isso, deve-se preferir alimentos grelhados e assados. As gorduras trans estão presentes também em sorvetes, margarinas e bolachas recheadas.
Queijos amarelos - São os que apresentam maior teor de gordura saturada e colesterol. Deve-se escolher laticínios desnatados e queijos brancos – minas, cottage e ricota.
Mais informações
HDL - High Density Lipoprotein (lipoproteína de alta densidade), colesterol “bom”: Devido ao seu fator protetor, ajuda a remover o excesso do colesterol “ruim” do sangue e reduz o risco de formação de placas de gordura. Quanto maior a quantidade deste, melhor para o indivíduo.
LDL - Low Density Lipoprotein (lipoproteína de baixa intensidade), colesterol “ruim”: Contribui diretamente para a formação de placas de gordura, indicando risco aumentado de infarto, derrame cerebral e entupimento das artérias das pernas. Este deve estar presente em menor quantidade.

• Tabagismo é responsável por mais de 200 mil mortes ao ano

http://cdn2.doutissima.com.br/
29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo
De acordo com o Ministério da Saúde, o hábito de fumar é responsável por cerca de 200 mil óbitos ao ano, no Brasil. Atualmente, 14,7% da população brasileira com mais de 18 anos é fumante e o hábito predomina entre os homens.

Para o cardiologista do Hospital VITA Mohamad Kamal Sleiman, o tabaco, além de ser responsável por vários tipos de câncer, aumenta o risco de doenças respiratórias e está associado a problemas cardiovasculares, como infarto e aumento da pressão arterial. Além de ser responsável por doenças crônicas, o fumo também é um fator de risco para o desenvolvimento de outras doenças, como tuberculose, infecções respiratórias, impotência sexual, úlceras pépticas, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, variadas formas de câncer, entre outras enfermidades.

O médico explica que a dependência maior do cigarro é por causa do uso da nicotina. De acordo com ele, a substância é um artefato para que os indivíduos criem dependência, já que esta age no cérebro dando ao indivíduo sensação de prazer e relaxamento. Em cada tragada são inaladas 4.700 substâncias tóxicas. Entre elas, três são consideradas as piores.

A primeira é a nicotina, que provoca dependência e chega ao cérebro mais rápido que a temida cocaína, estando associada aos problemas cardíacos e vasculares (de circulação sanguínea). A segunda é o monóxido de carbono (CO), aquele mesmo que sai do cano de escapamento dos carros. Ele combina com a hemoglobina do sangue (responsável pelo transporte de oxigênio) e acaba reduzindo a oxigenação sanguínea no corpo. É por causa da ação do CO que alguns fumantes ficam com dores de cabeça após passar várias horas longe do cigarro. "Nesse período de abstinência o nível de oxigênio circulando pelo corpo volta ao normal e o organismo da pessoa, que não está mais acostumado a esse ‘excesso’, reclama por meio das dores de cabeça", explica. A terceira substância tida como grande vilã é o alcatrão, que reúne vários produtos cancerígenos, como polônio, chumbo e arsênio.

Tratamento - A dependência provocada pela nicotina traz prejuízos físicos e psicológicos ao indivíduo que tenta abandonar o vício. Segundo Sleiman, o incômodo psicológico compromete a abstinência, por isso, torna-se tão difícil abandonar cigarro. Entretanto, hoje em dia há métodos específicos e eficazes para tratar o tabagismo, como medicamentos, adesivos e chicletes que contêm nicotina. O tratamento medicamentoso consiste na diminuição dos sintomas de abstinência, os adesivos fazem a liberação lenta de nicotina e concomitantemente o paciente pode mascar e absorver a nicotina liberada. 

O grande problema é que quase todas as pessoas que fumam não conseguem se desfazer deste hábito. De acordo com várias pesquisas, a cada 25 fumantes, pelo menos 22 precisam de seis tentativas para conseguir deixar o vício. "O fumante precisa contar com muito esforço e apoio médico para deixar a dependência, por isso, não é da noite para o dia que o indivíduo consegue deixar o cigarro", destaca o médico.

Cigarro eletrônico - O uso do produto não tem função terapêutica e seu uso não é uma forma eficaz de se livrar da dependência da nicotina, pois também possui substâncias nocivas à saúde. Segundo o cardiologista, quando o uso do cigarro eletrônico é interrompido, a pessoa pode apresentar os mesmos sintomas da síndrome de abstinência provocados pela privação do cigarro convencional.

Livre do vício
O que você ganha se ficar sem fumar por...
20 minutos: a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal;
2 horas: não tem mais nicotina circulando no sangue;
8 horas: o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
2 dias: o paladar ganha sensibilidade novamente;
3 semanas: a respiração fica mais fácil e a circulação sanguínea melhora;
5 a 10 anos: o risco de sofrer infarto passa a ser igual ao de quem nunca fumou.

• Como um psicólogo pode mudar sua vida

No dia 27 de agosto, comemora-se o Dia do Psicólogo no Brasil, e, por isso, é importante atestar como ter um profissional desses ao seu lado pode ajudá-lo 

Todos os dias, milhares de pessoas seguem uma rotina diária corrida, que envolve acordar cedo, se deslocar até o trabalho e voltar para o conforto do lar só depois do céu já ter escurecido. Principalmente nas grandes cidades, esse dia a dia movimentado contribui para o desenvolvimento de diversas doenças e transtornos mentais, acarretando, também, em baixa autoestima, confiança e segurança para ir e vir.
Nesse cenário que, para muitos, chega a ser normal, não é difícil existirem casos de pessoas que se sentem pressionadas de todos os lados, e, por isso, precisam de alguém com quem possam falar, se abrir e descarregar todos os sentimentos que ficam guardados dentro de si. Por essas e outras razões, a figura do psicólogo é de extrema importância na vida de alguém, para que essa pessoa aprenda a lidar com as decepções, tristezas e alegrias (entre muitos outros sentimentos) que recheiam o dia a dia de cada um.
Segundo Carla Ribeiro, psicóloga clínica e hospitalar voltada à saúde do homem, atuante do Rio de Janeiro, a psicologia vai muito além do consultório tradicional, que é normalmente a primeira imagem que vem à cabeça das pessoas quando se fala na profissão. "A psicologia busca a compreensão dos processos mentais e comportamentais, e seu objetivo varia de acordo com a área de atuação. A psicologia clínica foca no bem-estar do paciente; a escolar, no sucesso acadêmico; a hospitalar, no conforto da família e do paciente que está internato, e por aí vai. É importante que se observe que a figura do psicólogo não pode ser subestimada em nenhum ambiente, desde escolas até grandes corporações", explica.
Ela lembra que, no dia 27 de agosto, é comemorado o Dia do Psicólogo no Brasil. "Por mais que várias pessoas não compreendem a importância da profissão, ela é valiosa, pois ajuda os pacientes a lidarem com seu dia a dia, prevenindo doenças e estimulando-os a melhorar sua vida. O momento que a maioria das pessoas acaba procurando a ajuda de um psicólogo é quando o indivíduo resolve dar um "basta" em tudo aquilo que o aflige, e isso é ótimo, pois permite uma recuperação do indivíduo, levando-o a aumentar sua qualidade de vida", afirma.
Carla finaliza, lembrando que, mesmo se a pessoa for desmotivada por amigos e familiares, ainda é aconselhável que ela procure ajuda para solucionar seus conflitos internos. “Muitas vezes, o interessado em procurar ajuda desiste pois, por meio da má influência de pessoas próximas a ele, acaba pensando que se consultar com um psicólogo é perda de tempo e dinheiro, ou pior; apenas para os fracos. Na verdade, esta imagem apenas impede as pessoas de procurarem ajuda, o que pode acarretar problemas futuros, tudo por uma falta de incentivo a se consultar com um psicólogo", conclui.
Serviço: Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem
Celular: 21 9.9908-1834
Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 - sala 1213, Jacarepaguá (Taquara), Rio de Janeiro/RJ.

• O passo a passo de uma lipoaspiração

Cirurgião explica como funciona o processo de se realizar uma lipoaspiração, desde o pré-operatório até o resultado final. 

Para algumas pessoas, nem sempre é fácil atingir o corpo desejado, independentemente de quantas dietas e/ou exercícios físicos forem realizados. Nestes casos específicos, uma das possibilidades encontradas para melhorar a aparência física, e, assim, resgatar a autoestima são as cirurgias plásticas.
Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico atuante em Curitiba, a lipoaspiração é um dos procedimentos mais indicados para os pacientes que possuem gordura localizada em excesso. "Essa intervenção é ideal para quem não obteve resultados expressivos com dietas e exercícios, e, agora, quer esculpir seu corpo à sua maneira", comenta.
Pacheco, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, listou o passo a passo de como funciona a cirurgia, o pré e pós-operatório. Confira:
1.   Antes da cirurgia
Será necessário realizar, com antecedência, exames de sangue, cardiológicos e radiografia de tórax. Existe a possibilidade do cirurgião pedir, também, ultrassom da região a ser operada, e um doppler (um exame que visualiza vasos sanguíneos) das pernas para garantir que não há trombos na corrente sanguínea. Ficar em jejum oito horas antes da cirurgia também é imprescindível.
Alderson garante que também será preciso garantir que o paciente não tenha outros problemas sérios de saúde, como hipertensão, diabetes e obesidade, pois, caso uma dessas doenças se apresente, a cirurgia pode ser repensada.
2.   Durante a cirurgia
Primeiramente, é preciso notar que a anestesia pode ser local, peridural ou geral, dependendo da quantidade de regiões abordadas e de gordura a ser retirada. A cirurgia em si é iniciada com a infiltração da solução de Klein (composta por soro fisiológico e adrenalina), o que diminui as chances de sangramento e trauma cirúrgico. Essas cânulas chegam, através da pele, no tecido adiposo, de onde aspiram a gordura localizada.
A cirurgia pode durar entre três a quatro horas e, no geral, as cicatrizes de lipoaspiração não são muito grandes, medindo cerca de meio centímetro, mas podem ficar imperceptíveis ao longo do tempo, não causando incômodo ao paciente.
3.   Após a cirurgia
A lipoaspiração demanda um tempo mínimo de 24 horas de internação, e, após uma semana de repouso em casa, já é possível retornar ao trabalho, desde que este não demande muito esforço físico. A prescrição de remédios fica a cargo do médico e de sua percepção sob o estado do paciente, mas o uso de cinta modeladora por pelo menos um mês é indispensável.
Após um mês do final da cirurgia, é possível perceber diminuição do inchaço, sendo que pode-se voltar a realizar atividades físicas. O resultado final, entretanto, só pode ser visualizado após seis meses.
Serviço:
Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424
Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.
Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

• A fantasia que virou realidade

Quem sofre da Síndrome do Peter Pan acredita que não precisa crescer e adquirir responsabilidades. 

Todos conhecem o conto infantil do Peter Pan, sobre o menino que não queria crescer e mora na Terra do Nunca com os garotos perdidos e se envolve em aventuras com piratas e sereias e etc. Mas existem meninos, homens, reais, que não fazem parte dessa ficção e não querem envelhecer de jeito nenhum, se desfazem de qualquer responsabilidade, rejeitam opiniões divergentes das suas, enfim, agem como verdadeiras crianças. Esses homens possuem a síndrome do Peter Pan.
Esse termo foi usado pela primeira vez por um psicólogo norte-americano chamado Dan Kiley, em 1983. O portador da síndrome não possui uma doença, mas um distúrbio causado por fatores sociais, tanto de influências externas quanto da família, normalmente superprotetora e permissiva, não impondo limites ou afazeres à ele. Então a formação psicológica dessa criança é alterada e passa diretamente da infância para a idade adulta, pulando a adolescência. Por isso, muitas vezes, essa pessoa acaba morando na casa dos pais por muito tempo.
Não são só os homens que podem ser atingidos pelo distúrbio, mas eles têm uma maior propensão a adquiri-lo.  A psicóloga Carla Ribeiro, atuante no Rio de Janeiro, afirma que há a possibilidade de tratamento, por meio de psicoterapia, na qual o sujeito irá passar pela adolescência, recuperando o aprendizado de valorização de trabalho e lazer, trazendo-o de volta à realidade.
Ela explica alguns sintomas característicos da disfunção psicológica:
1 - Irresponsabilidade. Quem tem a síndrome normalmente é preguiçoso e procrastina decisões, tem dificuldade em manter um relacionamento amoroso
2 - Ansiedade. Baixa auto estima e a insatisfação consigo, além de não terem boas relações com qualquer figura autoritária;
3 - Narcisismo. Acha que o mundo gira a sua volta. Alimentação, moradia e segurança são coisas que vêm de mão beijada, não associa trabalho e recompensa. Suas opiniões são sempre as corretas, não aceita ser contestado.
4 - Machista. Não acredita na igualdade entre os sexos, sempre acha que o homem é quem tem prover e ter uma posição superior dentro da casa.
5 - Não têm ética. Faz tudo o que pode e mais um pouco em benefício próprio, sem se preocupar com os outros.
Esses homens não passaram por um processo de reconhecimento de falhas e qualidades que possuem, principalmente porque não foram punidos quando crianças, e agora não diferenciam certo e errado. A única pessoa com que se importam são eles mesmos, e se acomodam na fantasiosa Terra do Nunca, se distanciando da realidade.
Serviço: Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem
Celular: 21 9.9908-1834
Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 - sala 1213, Jacarepaguá (Taquara), Rio de Janeiro/RJ.

• A dieta brasileira da longevidade

Fonte da imagem: http://www.scientificamerican.com/
Nutricionista* lista os alimentos mais recomendados para quem quer manter a pele lisinha apesar do passar dos anos, afastar doenças relacionadas à idade e manter a disposição sempre em alta

Não importa a idade, as mulheres estão sempre preocupadas em conservar um ar de juventude para sempre. No entanto, com o passar dos anos, a energia para certas atividades vai diminuindo e os sinais na pele começam a dar o ar da graça, o que as faz pensar imediatamente em cirurgias plásticas, cremes anti-rugas e tratamentos estéticos. 

Porém, um cuidado básico é muitas vezes esquecido nessa empreitada contra o envelhecimento: a boa alimentação, que, de acordo com a nutricionista paulista Elaine de Pádua, pode ajudar a prevenir as principais doenças relacionadas ao avançar da idade e, de quebra, retardar consideravelmente os efeitos do envelhecimento precoce na cútis. 

O fato é que, cada vez mais, os níveis de intensidade da radiação ultravioleta têm se intensificado, o que faz com que soframos com danos aparentes na pele, resultado da exposição ao sol, e o risco cada vez maior de desenvolvimento de câncer de pele. Pesquisas recentes indicam os efeitos positivos do licopeno em termos de resistência aos raios ultravioleta. Nesse caso, uma estratégia interessante para a fotoproteção é a sustentação de um sistema antioxidante forte, o que pode ser conquistado através da alimentação:

O organismo humano se protege naturalmente, utilizando antioxidantes para neutralizar os efeitos nocivos dos raios ultravioleta, o que pode ser intensificado quando se investe em enzimas e alimentos fontes de antioxidantes. Estudos em humanos mostram que as concentrações plasmáticas de carotenóides licopeno, presentes em alimentos das cores vermelha, laranja e amarela, diminuem a ação da radiação UV. Para se proteger, uma boa opção é incluir na dieta, cerca de três vezes por semana, produtos a base de tomate, - orienta Elaine.

Quando se pensa em longevidade, um dos mais famosos padrões de dieta é a mediterrânea, caracterizada por refeições ricas em frutas, vegetais e peixes, além de regada a consideráveis quantidades de vinho. "Os benefícios desse tipo de dieta para a saúde são muitos, já que ela conta com um nível muito baixo de ácidos graxos e é rica em carboidratos e fibras. O resultado é a redução do risco de Mal de Alzheimer, diabetes, doenças cardiovasculares, hipertensão e obesidade, além de uma série de benefícios relacionados ao bem estar de quem a pratica", analisa a nutricionista.

A boa notícia é que é muito fácil adaptar esse tipo de dieta para a rotina alimentar do brasileiro. Basta incluir todos os dias alguns alimentos comumente encontrados nas feiras de rua da grande maioria dos estados do país e que são verdadeiros amigos da longevidade. Segue abaixo uma lista de alimentos indicados pela nutricionista Elaine de Pádua para quem deseja manter a saúde e a rigidez da pele, apesar do passar dos anos:

Para evitar o envelhecimento precoce da pele 

Gérmen de trigo e sementes oleaginosas em geral: ricos em vitamina E, esses alimentos são capazes de impedir a deterioração lipídica do tecido epidérmico. Como complemento, quando consumidos diariamente, ainda ajudam a proteger a pele, deixando-a mais hidratada e, consequentemente, impedindo seu envelhecimento.

Alimentos alaranjados, ricos em betacaroteno: carotenóides como a cenoura são precursores de vitamina A e, por isso, extremamente benéficos para a proteção da pele, reduzindo os riscos de queimaduras solares quando consumidos diariamente.

Salmão: trata-se de uma excelente fonte natural de selênio, vitamina E e ômega 3, que auxilia na firmeza dos tecidos e protege as células da ação dos radicais livres. Além disso, a vitamina E ajuda a retardar o envelhecimento das células da pele, reduzindo a produção de uma enzima chamada colágenase, que degrada colágeno e faz com que a pele se afine e dê origem às temidas rugas. 

Romã: essa fruta é uma ótima fonte de antioxidantes, que combatem os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele, caracterizado por perda da elasticidade, rugas e manchas. Ela ainda aumenta o fator de proteção do filtro solar, quando aplicado na pele.

Frutas desidratadas: seu consumo deve ser moderado, por se tratarem de alimentos com alto teor de calorias. No entanto, são excelentes fontes de vitaminas e minerais que, quando associados a um cardápio equilibrado, trazem inúmeros benefícios à saúde, inclusive da pele. Um ótimo exemplo é o damasco seco, que possui duas vezes mais vitamina A, o triplo de potássio e oito vezes mais ferro do que a fruta in natura. Além disso, o damasco possui pectina, ácido málico e ácido oxálico, substâncias excelentes para a saúde da pele, e ainda evita a retenção de líquidos e a constipação intestinal, o que também se reflete em benefícios cutâneos.

Para prevenir doenças relacionadas à idade

Uva passa: essa poderosa frutinha desidratada ajuda o organismo a preservar as boas bactérias intestinais, além de conter fibras insolúveis, que também auxiliam no bom funcionamento do trato digestivo. Para ajudar, ainda contêm um mineral chamado boro, que ajuda na manutenção da massa óssea, que acaba se perdendo com o passar dos anos, garantindo a boa saúde e funcionalidade dos ossos e articulações.

Um estudo recente confirmou que acrescentar uva passa no cardápio diário apresenta efeito positivo na diminuição do LDL (mau colesterol) e que seu consumo frequente não aumenta o nível de triglicérides no sangue, um dado importante na prevenção de doenças cardiovasculares. 

Frutas vermelhas: contêm antocianina e ácido elágico, que evitam o envelhecimento celular precoce e a formação de tumores, segundo pesquisa da Universidade de Brasília, publicada em 2008. Além disso, essas frutas contam com propriedades anti-inflamatórias, antialérgicas e anticancerígenas, além de conter baixo índice glicêmico, o que ajuda a controlar os níveis de açúcar do sangue e, com isso, reduz as chances de ganho de peso. A cereja, em especial, é um excelente aliado da memória e do sono, por ser um dos únicos alimentos que possuem melatonina, neurotransmissor que ajuda a regular o sono. É comum que, a partir de certa idade, algumas pessoas passem a ter dificuldade para dormir e comecem a sofrer as consequências da falta de sono nas atividades rotineiras, por isso, adicionar alimentos com essa ação na dieta é fundamental. Para ajudar, essas frutinhas doces são uma excelente combinação de água, fibras, vitamina C e do complexo B.

Chá branco: por ser menos processado quando comparado com outros chás, suas propriedades são mais concentradas, acelerando o metabolismo e ajudando a eliminar a gordura corporal. Além disso, em mulheres a partir dos 40 anos, ele aumenta o gasto de energia fundamental.

Para garantir a disposição: 

Amora: a fruta é grande fonte de vitamina C e seu uso é indicado para equilibrar os hormônios femininos, o que garante maior energia para as atividades do dia a dia. 

Quinua: rico em proteínas e fibras, o grão é muito indicado especialmente para mulheres a partir dos 40 anos.

Chá verde: esse poderoso estimulante aumenta a termogênese corporal, facilitando a queima de gorduras, e ainda previne diversos tipos de câncer.

Figo: rico em carboidrato e considerado um poderoso afrodisíaco, ele eleva a produção de estrógeno e auxilia na fixação de cálcio nos ossos, que diminui com o passar dos anos.

Probióticos: a partir de certa idade, o trato gastrointestinal não absorve adequadamente zinco e outros nutrientes. Por isso, as bebidas lácteas que contam com microorganismos vivos são recomendadas como auxiliares da função intestinal e ajudam a aumentar a capacidade do organismo de absorver substâncias presente nos alimentos. Além disso, os lácteos são fontes de proteína e cálcio.

Folhas verdes escuras: espinafre, couve manteiga, brócolis, broto de alfafa e de feijão são maravilhosas fontes de clorofila e ainda contam com alta concentração de vitaminas A, C, E e do complexo B, bem como cálcio e magnésio. Outra boa dica é que esses alimentos possuem a função de modular a imunidade do organismo.

Ervas aromáticas: manjerona, manjericão, alecrim, açafrão, hortelã, louro, tomilho e orégano ajudam a estimular as funções orgânicas.

Lecitina de soja: além de fonte de vitamina E, atua como um poderoso antioxidante e ajuda a melhorar o funcionamento cerebral e ativar a memória. 

Brotos: apesar de ainda ser pouco difundido no Brasil, o hábito de ingerir grãos brotados ou germinados, como os de feijão azuki, lentilha e alfafa, já faz parte dos hábitos alimentares de quase todo o mundo. Eles são excelentes fontes de vitaminas e minerais, auxiliam na perda de gordura, por serem ricos em fibras, e ainda evitam picos de glicemia no sangue. Por isso, são ótima opções para quem quer manter a longevidade por muitos e muitos anos.

Semente de linhaça e de abóbora, azeite de oliva, sardinha, salmão e outros peixes: o ômega 3 presente nesses alimentos é considerado uma gordura boa e essencial para a manutenção da saúde. Seu consumo está associado à diminuição de níveis de colesterol e triglicérides do organismo e já existem alguns estudos que ligam seu consumo à inibição da formação do câncer de mama.

Gema do ovo: esse alimento contém muita vitamina E e é um potente antioxidante, capaz de combater os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento, câncer, artrite e doenças autoimunes como o diabetes e o lúpus. Para ajudar, alguns estudos apontam que uma das principais funções dessa vitamina é a proteção contra as doenças do coração, pois ela consegue reduzir os efeitos de LDL (colesterol ruim).

Os vilões da longevidade 

Quem deseja manter a saúde e a qualidade de vida com o passar dos anos deve, especialmente, se preocupar em evitar gorduras em excesso. A gordura não utilizada como fonte de energia tende a ser armazenada em certas regiões do corpo, como energia de reserva, podendo aumentar a gordura localizada e se tornando um considerável fator de risco para o surgimento de doenças cardiovasculares. Como complemento, o excesso de açúcares e carboidratos também se transforma em energia de reserva e aumenta os níveis de gordura no organismo. 

No entanto, a nutricionista Elaine de Pádua indica que não se deve excluir totalmente esses alimentos do cardápio, visto que são fundamentais para a saúde, mas que seu consumo deve ser equilibrado. Para compensar, o ideal é que se dê preferência a alimentos integrais, no lugar da farinha refinada, e frutas ricas em fibras, como forma de afastar os riscos de diabetes e outras doenças metabólicas.

Além disso, as substâncias químicas presentes em produtos industrializados sobrecarregam o fígado e a vesícula, aumentando as chances de se armazenar gordura principalmente no abdômen e causar problemas hepáticos. Os fermentados, como pães, cerveja e vinagre, também podem causar sensação de estufamento e gases, pois são produzidos por fungos. Refrigerantes devem ser igualmente evitados, pois podem atuar na redução de cálcio no organismo, já que costumam conter muito ácido fosfórico em sua composição.

SOBRE A ESPECIALISTA: 

Elaine de Pádua – nutricionista – São Paulo



Nutricionista pós-graduada em Nutrição nas Doenças Crônico-Degenerativas pelo Instituto de Pesquisa e Ensino do Hospital Israelita Albert Einstein. Especialista em Adolescência para equipe multidisciplinar pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Atualmente é mestre pela UNIFESP, coordenadora do ambulatório de nutrição da gestante adolescente e supervisora de estágios da especialização em "Adolescência para Equipe Multidisciplinar" do Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente - CAAA. Integrante da equipe de pré-natal da Casa da Saúde da Mulher - Departamento de Obstetrícia - UNIFESP. É também diretora da Clínica DNA Nutri (SP), onde atende pacientes de todas as idades. além de uma das idealizadoras da Nutriland (www.nutriland.com.br), que desenvolve produtos e serviços em nutrição educacional para crianças, profissionais de saúde e empresas. É autora dos jogos educativos "Mito ou verdade", "Desafio hortifruti" e "De olho nos alimentos", da Nutriland, e do capítulo Abordagem Nutricional da Adolescência, do livro Adolescência e Saúde Volume III, da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. Recentemente lançou o livro "O que tem no prato do seu filho? – Um guia prático de nutrição para os pais", Editora Alles Trade, que tem o objetivo de ajudar, de maneira criativa, os pais na difícil tarefa de fazer com que as crianças tenham uma alimentação de qualidade.

• Consultora da Netfarma esclarece as diferenças entre alergia e intolerância alimentar

Alguns sintomas alérgicos podem ser bem semelhantes ao de certas intolerâncias alimentares e fica difícil entender ou tratar o problema sem a ajuda de um especialista. A nutricionista Sulanne Oliveira, consultora da Netfarma, ajuda a entender melhor o assunto.

Basta ingerir um determinado tipo de alimento para desencadear uma reação, que pode ir de um simples desconforto a uma crise que pode até colocar a vida em risco. Como identificar se um problema recorrente relacionado à alimentação se trata de uma alergia ou intolerância alimentar? A dra. Sulanne Oliveira, nutricionista e consultora da farmácia online Netfarma () explica cada uma, em detalhes, e dá dicas de como evitá-las.

Alergia Alimentar

Segundo a especialista, "a alergia é a reação do sistema imunológico que produz anticorpos para se defender de uma substância estranha para o organismo. Também conhecida como hipersensibilidade alimentar", ela é mais comum em crianças, principalmente, menores de 3 anos de idade, mas pode acompanhar o indivíduo por toda a vida. Entre os alimentos que oferecem mais risco de desencadear reação alérgica estão leite, ovos, amendoim, frutos do mar e comidas com glúten, presente na farinha de trigo, por exemplo. Os sintomas rápidos, normalmente, são coceira, rouquidão e dificuldade para respirar, mas outros como congestão nasal, inchaço, náuseas, cólicas, vômitos e diarreias também podem aparecer. "Nos casos mais graves, há o risco de ocorrer uma reação anafilática, extremamente grave e que requer socorro imediato ao paciente. Tontura, dificuldade para respirar ou deglutir e queda de pressão são alguns sinais de alerta que apontam para esse quadro", orienta a nutricionista.

O grau da crise varia de acordo com a quantidade de alimento ingerida e com a idade e condições de saúde da pessoa. O diagnóstico é concluído após análise do histórico do paciente, dos sintomas e após testes como o de pele, que identificam a reação de anticorpos para substâncias suspeitas. "Excluir o alimento da dieta e substituí-lo por outro que não provoque a reação é a forma mais segura de evitar as crises. O acompanhamento médico é imprescindível, assim o paciente não fica sujeito a cair em ciladas, como por exemplo, ingerir um alimento diferente, mas do mesmo grupo do que é nocivo ao seu organismo e acabar sofrendo a mesma reação", afirma a consultora da Netfarma.

Intolerância Alimentar

De acordo com dra. Sulanne Oliveira, "a intolerância alimentar ocorre quando o organismo não produz as enzimas necessárias para digerir um determinado alimento. Não há ligação com o sistema imunológico". Mais uma vez, glúten, lactose e frutos do mar estão entre os maiores causadores do problema, assim como certos conservantes e corantes. Sintomas como náuseas, vômitos e diarreias figuram como os mais frequentes.

"Essas semelhanças fazem com que as pessoas confundam a intolerância alimentar com a alergia, por isso a avaliação médica é tão importante. O especialista vai realizar os exames que considerar apropriados para chegar ao diagnóstico preciso. Após o diagnóstico, o profissional vai cuidar também de repor os nutrientes na dieta do paciente, substituindo os alimentos que provocam a reação, por outros, mais adequados", explica a nutricionista.

Sobre a Netfarma – Um dos maiores e-commerces de saúde do Brasil, a farmácia 100% digital comercializa todos os medicamentos, dermocosméticos, suplementos alimentares, produtos de saúde, fitness, higiene, perfumaria e beleza, para atender às necessidades do consumidor de qualquer lugar do Brasil. Através do site http://, do Aplicativo Netfarma Acha ou do call center (11) 4619-8800, é possível comprar remédios e produtos de saúde com segurança, rapidez, facilidade, melhores preços e condições especiais de pagamento. Fundada em 2012, a Netfarma faz entregas expressas para todos os estados brasileiros e prioriza o cuidado e discrição com a entrega. No #netbox, o pedido fica protegido e chega intacto ao consumidor, que ainda pode receber brindes. A Netfarma conta com o selo Diamante da e-bit, concedido às empresas que demonstram comprometimento com a satisfação do consumidor.


• Aprenda a ler os rótulos dos alimentos com o Vigilantes do Peso

Saber ler o rótulo e atentar para a rotulagem nutricional dos alimentos é fundamental para uma alimentação saudável, uma vez que favorece escolhas para uma dieta mais equilibrada. Esta é uma forma de ter conhecimento dos nutrientes consumidos e reduzir a possibilidade do desenvolvimento de doenças crônicas como a obesidade. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos. Ela estabelece as informações que um rótulo deve conter visando a garantia de qualidade do produto e a saúde do consumidor.

“A rotulagem nutricional é muito importante para que o consumidor conheça as propriedades nutricionais dos alimentos e contribui bastante para um consumo adequado dos mesmos. Não podemos negar que ainda são necessários ajustes e inclusões de informações no rótulo para que este torne-se 100% informativo e prático para o consumidor, como uma discriminação mais detalhada de açúcares e gorduras e a informação sobre alimentos alergênicos, por exemplo. Apesar disso, ter acesso às informações atualmente disponíveis já é uma grande conquista para o consumidor. Interpretando corretamente as informações contidas no rótulo é possível saber, por exemplo, qual ingrediente predomina no alimento, já que o primeiro da lista é o que está em maior quantidade”, observa a nutricionista do Vigilantes do Peso, Renata Migueis.

A rotulagem nutricional se aplica a todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e que estão prontos para oferta ao consumidor. Como grande parte da alimentação é composta por alimentos que sofrem algum tipo de processo industrial, é de fundamental importância que as informações contidas no rótulo sejam entendidas pelo consumidor.

Dentre as informações incluídas nos rótulos podemos destacar:

1) o valor energético, que pode ser expresso em quilocalorias (kcal) ou quilojoules (kJ), e representa a quantidade de energia (a partir de carboidratos, proteínas e gordura) que nosso corpo será capaz produzir com o consumo daquela porção de alimento para gastar ou armazenar, dependendo da situação.


2) os macronutrientes: carboidratos, proteínas e gorduras totais, que são componentes dos alimentos e são essenciais para o organismo realizar as todas as suas funções.
Alguns dos macronutrientes podem ser destrinchados no rótulo como os carboidratos, informando a quantidade de açúcar (“dos quais açúcares”) e as gorduras, que se subdividem em trans, saturadas, poliinsaturadas e monoinsaturadas, sendo a informação de trans e saturadas de carater obrigarório na rotulagem.


3) fibra alimentar: são partes do alimento não digeridas e não absorvidas, mas que exercem função importante para a saúde como auxiliar no funcionamento do intestino e na saciedade, ajudando no emagrecimento.

No rótulo também existem outras informações importantes ao consumidor como: porção e medida caseira, que indicam a quantidade recomendada para o consumo visando uma alimentação balanceada e o % VD (percentual de valores diários), que informa quanto o produto em questão apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 kcal, mas este valor pode ser menor ou maior dependendo da necessidade energética de cada pessoa.

Aqui estão algumas dicas da equipe de nutrição do Vigilantes do Peso para ler o rótulo e consumir produtos saudáveis:

- Além de verificar as informações nutricionais e ingredientes dos rótulos atente sempre para a validade do produto.
- No caso de comprar produtos integrais: verificar nos ingredientes se os primeiros da lista são realmente integrais.
- Procurar consumir alimentos com %VD elevado em fibras e reduzido em gordura saturada e sódio.
- Um número elevado de ingredientes (frequentemente cinco ou mais) e, sobretudo, a presença de ingredientes com nomes pouco familiares, indicam que o produto pertence à categoria de alimentos ultraprocessados.
- Não supervalorizar termos como “zero”; “isento”; “leve”; “fit”; “integral”; “light”; “diet”; “ômega-3”; “fibras”; “grãos” entre outros nas embalagens sem antes consultar o rótulo e se certificar que aquele alimento pode realmente ser benéfico para a sua condição de saúde ou se existem opções melhores. Muitas marcas utilizam termos e alegações de propriedades funcionais e/ou de saúde como marketing para impulsionar a venda de produtos.

REFERÊNCIAS:

¹ BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Guia de Bolso do Consumidor Saudável. Disponível em:
² BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerência Geral de Alimentos. Rotulagem Nutricional Obrigatória – Manual de Orientação às Indústrias de Alimentos. 2ª versão, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.
³ BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2ª edição, Brasília – DF, 2014.


Fonte: Vigilantes do Peso

• Consultora da Netfarma esclarece as diferenças entre alergia e intolerância alimentar

Alguns sintomas alérgicos podem ser bem semelhantes ao de certas intolerâncias alimentares e fica difícil entender ou tratar o problema sem a ajuda de um especialista. A nutricionista Sulanne Oliveira, consultora da Netfarma, ajuda a entender melhor o assunto.

Basta ingerir um determinado tipo de alimento para desencadear uma reação, que pode ir de um simples desconforto a uma crise que pode até colocar a vida em risco. Como identificar se um problema recorrente relacionado à alimentação se trata de uma alergia ou intolerância alimentar? A dra. Sulanne Oliveira, nutricionista e consultora da farmácia online Netfarma () explica cada uma, em detalhes, e dá dicas de como evitá-las.

Alergia Alimentar

Segundo a especialista, "a alergia é a reação do sistema imunológico que produz anticorpos para se defender de uma substância estranha para o organismo. Também conhecida como hipersensibilidade alimentar", ela é mais comum em crianças, principalmente, menores de 3 anos de idade, mas pode acompanhar o indivíduo por toda a vida. Entre os alimentos que oferecem mais risco de desencadear reação alérgica estão leite, ovos, amendoim, frutos do mar e comidas com glúten, presente na farinha de trigo, por exemplo. Os sintomas rápidos, normalmente, são coceira, rouquidão e dificuldade para respirar, mas outros como congestão nasal, inchaço, náuseas, cólicas, vômitos e diarreias também podem aparecer. "Nos casos mais graves, há o risco de ocorrer uma reação anafilática, extremamente grave e que requer socorro imediato ao paciente. Tontura, dificuldade para respirar ou deglutir e queda de pressão são alguns sinais de alerta que apontam para esse quadro", orienta a nutricionista.

O grau da crise varia de acordo com a quantidade de alimento ingerida e com a idade e condições de saúde da pessoa. O diagnóstico é concluído após análise do histórico do paciente, dos sintomas e após testes como o de pele, que identificam a reação de anticorpos para substâncias suspeitas. "Excluir o alimento da dieta e substituí-lo por outro que não provoque a reação é a forma mais segura de evitar as crises. O acompanhamento médico é imprescindível, assim o paciente não fica sujeito a cair em ciladas, como por exemplo, ingerir um alimento diferente, mas do mesmo grupo do que é nocivo ao seu organismo e acabar sofrendo a mesma reação", afirma a consultora da Netfarma.

Intolerância Alimentar

De acordo com dra. Sulanne Oliveira, "a intolerância alimentar ocorre quando o organismo não produz as enzimas necessárias para digerir um determinado alimento. Não há ligação com o sistema imunológico". Mais uma vez, glúten, lactose e frutos do mar estão entre os maiores causadores do problema, assim como certos conservantes e corantes. Sintomas como náuseas, vômitos e diarreias figuram como os mais frequentes.

"Essas semelhanças fazem com que as pessoas confundam a intolerância alimentar com a alergia, por isso a avaliação médica é tão importante. O especialista vai realizar os exames que considerar apropriados para chegar ao diagnóstico preciso. Após o diagnóstico, o profissional vai cuidar também de repor os nutrientes na dieta do paciente, substituindo os alimentos que provocam a reação, por outros, mais adequados", explica a nutricionista.

Sobre a Netfarma – Um dos maiores e-commerces de saúde do Brasil, a farmácia 100% digital comercializa todos os medicamentos, dermocosméticos, suplementos alimentares, produtos de saúde, fitness, higiene, perfumaria e beleza, para atender às necessidades do consumidor de qualquer lugar do Brasil. Através do site http://, do Aplicativo Netfarma Acha ou do call center (11) 4619-8800, é possível comprar remédios e produtos de saúde com segurança, rapidez, facilidade, melhores preços e condições especiais de pagamento. Fundada em 2012, a Netfarma faz entregas expressas para todos os estados brasileiros e prioriza o cuidado e discrição com a entrega. No #netbox, o pedido fica protegido e chega intacto ao consumidor, que ainda pode receber brindes. A Netfarma conta com o selo Diamante da e-bit, concedido às empresas que demonstram comprometimento com a satisfação do consumidor.


• Homeopatia: conhecimento de si próprio

A Homeopatia atua por meio de estímulos energéticos desencadeados por medicamentos homeopáticos com o intuito de reequilibrar a energia vital dos doentes. O estudo empreendido das personalidades homeopáticas apresentado durante todo o curso compreende o conhecimento de mais de 200 principais policrestos, ou seja, medicamentos que abrangem muitos sintomas dos seres vivos. Nestes estudos o aluno vai conhecendo as desarmonias dos seres humanos no campo energético, mental, emocional e físico. 



À medida que este conhecimento é apresentado pelos professores do curso, os alunos, automaticamente, vão se autoanalisando e verificando em qual personalidade ou medicamento cada um se identifica. Há alunos que na primeira aula já encontram o seu medicamento similimum. Outros só irão achá-lo na última aula. 

Contudo, quase todos descobrem uma ou mais substâncias homeopáticas que correspondem ao seu similimum, ou seja, a homeopatia que equivale a um autorretrato da sua personalidade, seu sósia ou seu xerox na forma de viver: seus comportamentos, atitudes, pensamentos, ações, jeitos etc.

O importante é que quem faz esta classificação é o próprio aluno com a ajuda dos professores. Compete-lhe assistir as aulas, prestar atenção, anotar, ler e estudar nos livros de “Homeopatia Metafísica Repertorizada” e outros que podem, em determinado momento, provocar um insight na sua mente. A pessoa conscientiza-se de si própria ao compreender que possui muitas desarmonias, que realizou e praticou atos equivocados ao longo da sua vida. Identifica as oportunidades perdidas por alguma incapacidade, inatividade, falta de coragem, de empreendedorismo ou de tomada de atitudes e decisões não condizentes.

Ao classificar-se com traços de tal personalidade, o aluno poderá ingerir o remédio e notar que sua vida começará a mudar. Seus pensamentos, comportamentos e atitudes tenderão a se reequilibrar.

Há sintomas que, por serem tão particulares, esquisitos ou excêntricos, numa consulta homeopática o profissional não pergunta e nem a pessoa relata espontaneamente, mas na aula de homeopatia ele mesmo é que se identifica.

Ao começar a usar a sua homeopatia, o aluno relembrará de fatos do seu passado, quer conscientemente, quer em sonhos, e, assim, seus traumas ou dores vêm à tona e, consequentemente, começarão a se harmonizar e se curar, inclusive de problemas físicos que não tinham explicação ainda para ele.

No ultimo dia de aula, sempre em dezembro, ocorre o momento mais importante do curso: se assim desejar, o aluno faz um relato da sua vida correlacionado a uma substância homeopática. No momento em que ele tem a coragem de falar sobre desarmonias para um público grande, ao revelar pensamentos equivocados, sua antiga forma de agir, se transforma em um novo ser, graças a Ciência da Homeopatia que ajuda a curar as dores e sofrimentos da alma e do corpo.

Professora Eliete M M Fagundes
cursohomeopatias@terra.com.br
 


• Beber água protege organismo contra ataques do coração

Especialista explica como esse simples hábito pode fazer toda diferença para nossa saúde

Se você está com sede, um copo de água é sim a melhor coisa para você beber. Dr. Fábio Cardoso especialista em medicina preventiva e longevidade garante que quanto mais copos de água você bebe, menor é o risco de você ter um infarto cardíaco fatal ou mesmo desenvolver doença cardiovascular. E quanto mais você opta por outros líquidos não-saudáveis (café, chás, refrigerantes, sucos industrializados, adoçados ou não), menos desta “proteção” você terá.

Este dado foi demonstrado num excelente estudo onde epidemiologistas da Universidade da Califórnia apresentaram após analisarem os dados de seguimento de aproximadamente 20.000 pessoas que eram Adventistas do Sétimo Dia. Diferente não é ? Calma, o Dr Fábio eu explico o porquê.

Adventistas do Sétimo Dia são cristãos que acreditam no retorno de Jesus Cristo à Terra. Independente de sua crença religiosa, eles possuem um estilo de vida saudável se compararmos com a sociedade ocidental moderna: Eles não fumam, não consumem bebidas alcoólicas e tentam levar suas vidas o mais saudável possível. Foi por estes preceitos que os epidemiologistas se interessaram em acompanhá-los.

Os pesquisadores monitoraram 12.017 mulheres e 8.280 homens, todos adventistas, por um período de 6 anos. Como pré-requisito, todos os participantes estavam saudáveis, sem doenças no momento de entrarem no estudo.

Desde a entrevista inicial, um dado chamou a atenção dos pesquisadores: a grande quantidade de água que eles consumiam diariamente.

Nos homens que consumiam mais de 5 copos de 240ml de água reduziam em 40% o risco de eventos cardiovasculares graves.

Nas mulheres que consumiam mais de 5 copos, a redução foi de 35%. 

Os pesquisadores é óbvio que procuraram outras relações para explicar esta redução de risco, como idade, pressão arterial, índice de massa corporal, exercício físico, consumo de nozes/oleaginosas e grãos integrais na dieta. Independente de todos estes fatores, quanto mais água eles consumiam, menores os riscos para infartos fatais ou doenças cardiovasculares.

Outros líquidos como café, chás, refrigerantes ou sucos não tiveram este efeito protetor. No caso dos refrigerantes e suco industrializados adoçados, na verdade até piorou os riscos.

Os pesquisadores pensam de uma forma bem simples para explicar esta “proteção” gerada pela água: o sangue fica “menos grosso”, reduzindo o risco de eventos que geram trombose – reduzindo o risco de obstruções agudas nas artérias, sendo esta parte das causas dos infartos.

E outro dado coletado neste estudo que vale ressaltar: neste estudo, indivíduos que consumiam 3 copos de suco de fruta por dia, a concentração de triglicerídeos no sangue era 50% maior que o grupo que só consumia água (lembrando que níveis elevados de triglicerídeos estão relacionados com aumento do risco de diabetes e eventos cardiovasculares como infartos e derrames cerebrais.

Outros tipos de bebidas, como café e chás, se consumidos em excesso podem ter um efeito negativo, pois ambos podem ser estimulantes e ainda ter efeito diurético (o correto seria individualizar o consumo, orientado por um profissional nutricionista para ter efeitos positivos no consumo).

Só para lembrar Dr Fábio afirma que independente do credo, bons exemplos no âmbito da promoção de hábitos saudáveis e com potencial de aplicação em larga escala devem ser valorizados e laureados. E aqui fica a ressalva para o simples hábito de consumir água. Fácil e efetivo, sem fórmulas mágicas. Tá com sede? Beba Água.

Sobre Fábio Cardoso
Médico, especialista em Medicina Preventiva, Longevidade e Anti-Envelhecimento, mestre em Medicina do Esporte, ele ensina hábitos para sermos mais jovens cronologicamente. Entre os temas de suas palestras estão “Idade Cronológica x Idade Biológica”, “Controle de Hormônios”, “Como substituir certos alimentos nocivos à saúde”, “Hábitos saudáveis”, entre outros.

Fábio Cardoso tornou-se também uma referência no Brasil por sua atuação no tema Medicina Funcional. Seu trabalho tem hoje o reconhecimento de profissionais da saúde. É membro da Brazil-American Academy for Integrative & Regenerative Medicine, da Associação Brasileira de Medicina Anti-Envelhecimento e do Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM).

É uma das importantes fontes da imprensa nacional quando o assunto é medicina preventiva e alimentação saudável. Tornou-se conhecido na mídia por conta de inúmeras reportagens e entrevistas veiculadas em rádios, emissoras de TV, sites, jornais e revistas.

Site: 

Mais visualizadas na última semana