• Não consigo engravidar! Como saber se é a hora de procurar ajuda médica

A conquista natural de uma gestação é uma realidade para 85% dos casais saudáveis na faixa dos 30 anos. De acordo com os dados médicos, os outros 15% precisam de tratamentos que auxiliam com técnicas e procedimentos que poderão tornar real o sonho de ter um filho.

Para ser diagnosticado com problemas relacionados à fertilidade é necessário que o casal tente, primeiro, engravidar naturalmente, passado esse período homem e mulher devem consultar com uma equipe médica especializada em métodos de reprodução assistida para investigar as possíveis causas da infertilidade.

Infertilidade não escolhe gênero
São inúmeros motivos que levam à infertilidade e o problema não está ligado diretamente à mulher ou ao homem, os dois apresentam os mesmos índices de problemas, que podem ser ocasionados por disfunções hormonais, cirurgias nos órgãos reprodutivos, estilo de vida ou doenças não tratadas, como endometriose (nas mulheres) ou varicocele (nos homens).

Ao identificar as causas os médicos especialistas irão recomendar o tipo de tratamento mais adequado para cada casal. As técnicas de reprodução assistida podem ser mais simples, como a indução da ovulação e a inseminação artificial, ou mais complexas como a fertilização in vitro.

Diferentes técnicas de reprodução assistida
O ginecologista, Dr. Jean Louis Maillard (CRM-SC 9987 – RQE 5605), explica alguns procedimentos que podem ser utilizados desde os mais simples até os mais complexos:

– Indução da ovulação: Em alguns casos de infertilidade é necessário que se tenha uma resposta melhor do ovário. Para isto faz-se uma indução da ovulação. Existem várias formas de conseguirmos isto através de medicação via oral ou injetável. O controle é feito por US transvaginal e dosagens hormonais. Em todas as técnicas de reprodução assistida utiliza-se indução da ovulação para que se tenha maior resultado positivo.

– Coito programado: Com essa técnica também é realizada a indução da ovulação e definida a data para a atividade sexual, de acordo com a resposta do organismo da mulher aos medicamentos.

– Inseminação artificial: A inseminação intrauterina (artificial) é um procedimento onde, após a indução da ovulação, o esperma processado e concentrado é colocado diretamente na cavidade uterina com auxílio de equipamentos específicos. Estudos mostram que a taxa de gravidez após a inseminação artificial pode variar muito, dependendo de múltiplos fatores. No entanto, de um modo geral ela é bastante significativa (em torno de 20%).

– Fertilização in vitro: A primeira parte do tratamento é coletar os gametas (óvulos e espermatozoides) e prepará-los para o procedimento. Posteriormente as células reprodutivas coletadas são acondicionadas em um local que simula as condições das trompas, em uma ação feita pelo médico embriologista fora do organismo. Os embriões obtidos com a Fertilização in Vitro ficam em uma incubadora por até cinco dias, se o processo evoluir no meio de cultura, os chamados de pré-embriões são colocados no útero da mulher. O processo é indolor e após 12 dias é realizado um exame de sangue (Beta HCG) para saber se ocorreu gravidez. "O sucesso da fertilização assistida depende da qualidade dos espermatozoides, dos óvulos e da receptividade do endométrio, sendo de grande importância a qualidade do Laboratório de Reprodução Assistida", explica o médico.

Não espere muito para procurar ajuda médica
Ao contrário do que muitas pessoas podem imaginar, buscar auxílio médico em uma situação de infertilidade pode não custar muito, dependendo das causas do problema as técnicas mais simples podem ser suficientes para conquistar a gravidez, por isso, dizer que a reprodução assistida é uma alternativa para poucas pessoas não é verdade.

Quem está tentando engravidar há mais de um ano e não consegue deve procurar um médico. Quanto menos tempo esperar, melhorar. A idade da mulher influencia na qualidade de seus óvulos e os médicos serão sempre os profissionais indicados para tirar as dúvidas e prescrever o tratamento correto.

Sobre a Clínica Fecondare: A clínica Fecondare é especializada em medicina reprodutiva. Multidisciplinar, a equipe é constituída por profissionais da área da ginecologia, psicologia e embiologia. Responsável técnico: Ricardo Nascimento - CRM 3198 - RQE 2109

Nenhum comentário:

Mais visualizadas na última semana