29/04/2016

• Tudo o que você precisa saber sobre TPM

fonte da imagem faculdadefamesp.com.br/
Francisco Furtado Filho*
A TPM ou Síndrome Pré-menstrual é o período cíclico que precede a menstruação. Nesse intervalo de tempo, podem aparecer sintomas psíquicos e físicos, que geralmente desaparecem no primeiro dia do fluxo menstrual. Em algumas mulheres, a TPM é interrompida somente com o fim do fluxo.
A principal causa da TPM é a alteração hormonal durante o período menstrual, que interfere no sistema nervoso central. Parece haver uma conexão entre os hormônios sexuais femininos, as endorfinas (substâncias naturais ligadas à sensação de prazer) e os neurotransmissores, tais como a serotonina. É importante ressaltar que essa síndrome acompanha a menstruação normal da mulher.
SINTOMAS

Os sintomas na TPM causam diversos desconfortos à mulher, dividindo-se em: sintomas emocionais e sintomas físicos. Os sintomas emocionais são: depressão, vontade de chorar, irritabilidade, ansiedade, insônia, fome em excesso ou falta de apetite, sonolência, dificuldade de concentração e cansaço. Já os sintomas físicos são: dor de cabeça, acne, aumento de peso, inchaço nas mamas, dores osteomusculares e distensão gasosa.
Para caracterizar a TPM não é necessária a ocorrência de todos esses fatores, que devem desaparecer com o fluxo para serem chamados de síndrome pré-menstrual.
DIAGNÓSTICOS

A TPM atrapalha a vida pessoal e profissional de diversas mulheres por todo o mundo todos os meses. Essa tensão é gerada por alterações hormonais que antecedem a menstruação. Em geral, os sinais da TPM aparecem na metade do ciclo menstrual e desaparecem em até dois dias após o início da menstruação.
O diagnóstico da tensão pré-menstrual costuma ser demorado, principalmente pela falta de exames que comprovem a sua existência. As mulheres que têm sintomas mais severos passam por diversos médicos e demoram anos para serem diagnosticadas. É preciso uma combinação dos sintomas condizentes e a fase do ciclo menstrual exato para serem diagnosticadas com TPM. Outra questão é que a maioria das mulheres que têm sintomas intensos de tensão pré-menstrual não procura ajuda médica, por acreditarem que são normais, ou por acreditarem que o médico não dará importância para a sua queixa.
Apesar de não ter diagnóstico e tratamento exatos, a TPM pode ser caracterizada por um quadro de sintomas que podem ser amenizados por meio do tratamento correto. Se você passa por esse sofrimento todos os meses não espere pela sua próxima menstruação, procure o quanto antes um ginecologista, explique seu problema e inicie o melhor tratamento para o seu caso. TPM tem tratamento!        

TRATAMENTOS E CUIDADOS
Por se tratar da TPM, não existe um tratamento específico, já que os sintomas variam muito de intensidade para cada mulher. Entretanto, há medidas que aliviam os sintomas.
O melhor caminho para o tratamento da TPM é consultar um médico ginecologista e descrever para ele todos os sintomas que a mulher sente antes e depois da menstruação. O melhor medicamento é o que, sozinho ou associado, reduza os sintomas.

Como essa síndrome está ligada à ovulação, muitas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional, que suspende a ovulação. Nos Estados Unidos, a FDA (Órgão Regulatório dos Estados Unidos) aprovou a pílula com drospirenona e etinilestradiol, para mulheres que têm sintomas de TPM e desejam anticoncepção hormonal.
Já nos casos graves de síndrome disfórica pré-menstrual, é necessária uma medicação mais específica. Atualmente, o tratamento usado com melhores resultados são os antidepressivos. Estudos recentes mostram que essa medicação, usada na menor dose possível e durante a fase de tensão pré-menstrual, tem melhorado muito a qualidade de vida das mulheres que experimentam essa disfunção. Também nesses casos a pílula anticoncepcional com drospirenona e etinilestradiol pode ser usada.
Resultados não cientificamente comprovados mostram que a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados na melhora dos sintomas. Outro medicamento é o ácido gama linoleico, que é um ácido graxo essencial e pode ser encontrado no óleo de prímula. Existem advertências sérias do FDA americano a respeito de medicações alternativas naturais e de possíveis efeitos colaterais graves, portanto, esse ou qualquer outro medicamento, mesmo que “natural”, só deve ser usado mediante prescrição médica.

CONVIVENDO

Para muitas mulheres, a TPM pode atrapalhar as tarefas diárias, sejam profissionais ou pessoais.  Para amenizar os sintomas da TPM, as seguintes ações são indicadas:
Realize atividades que proporcionem bem-estar, como passear no parque;
Faça uma atividade física. Pode ser uma caminhada ao ar livre, andar de bicicleta, nadar ou jogar tênis. Isso ajuda a reduzir a tensão e a melhorar a autoestima;
Evite agendar compromissos importantes para os dias que antecedem a sua menstruação;
Procure cuidar de seu corpo, mesmo que você não vá sair de casa. Isso também ajuda a elevar a sua autoestima;
Afaste os pensamentos negativos, seja otimista e mentalize coisas boas;
Procure fazer uma alimentação balanceada com verduras, frutas e legumes;
Diminua o sal. Ele ajuda a desencadear os inchaços, pois contribui na retenção de líquidos;
Redobre os cuidados com a pele. O aumento de oleosidade da pele e surgimento de acnes está relacionado com esse período. Por isso, a boa alimentação é fundamental;
Evite o consumo excessivo de carboidratos e açúcares, como doces, chocolates e amendoim.

Dr. Francisco Furtado Filho, médico ginecologista do Hospital VITA.

27/04/2016

• Você já ouviu falar em ATM ou DTM?

Profissionais explicam as implicações e tratamentos nesses casos 

Com certeza você já escutou alguém dizendo que está com dor no maxilar, dificuldades para mastigar e dor nos dentes. No entanto, geralmente essas dores estão ligadas a outras condições mais complexas do que podemos imaginar. Os pacientes chegam aos consultórios cheios de dúvidas e para descobrir do que se trata, somente conversando com um profissional.
Diante disso, os especialistas do Centro de Deformidade Facial do Rio de Janeiro, explicam do que se trata as siglas ATM e DTM. Para quem não conhece, ATM é a abreviação de Articulação Temporomandibular, formada pela mandíbula, osso temporal, disco articular, entre outras pequenas estruturas. Tem como função abrir e fechar a boca. Já a DTM significa Disfunções Temporomandibulares, isto é, alterações funcionais que acontecem na região da articulação Temporomandibular. Sendo assim, a DTM representa consequência ao mal funcionamento da ATM.
Um dos principais causadores da DTM é o ranger dos dentes, conhecido popularmente como “Bruxismo”. De acordo com a Dra. Cristina Jardelino, essa condição também é reflexo de outras situações ocorridas na vida do paciente, como por exemplo, fatores emocionais (estresse e ansiedade), traumas direto na região da face, ausência dentária, uso de próteses mal adaptadas, hábitos para-funcionais como roer unhas, mascar chicletes rotineiramente, dormir de bruços, mastigar apenas de um lado, entre outras. Essa disfunção pode levar à dores severas na cabeça, no ouvido e no rosto, além de contraturas musculares nas regiões de pescoço, ombro e cervical. Os pacientes que possuem DTM também podem apresentar limitação à mastigação e estalos. 
Algumas pessoas revelam que, nessas condições, ouvem uma espécie de “zumbido” no ouvido e travamento ao abrir e fechar a boca. “Nos casos mais severos, pode ocorrer a luxação da articulação temporomandibular, ou seja, o queixo sai do lugar, provocando fortes dores”, explica o Dr. Alexandre Maurity. 
A exemplo de várias outras doenças confundidas entre si por terem sintomas parecidos, a DTM pode estar relacionada com outras doenças como Artrite Reumatóide, Fibromialgia, Espondilite Anquilosante. Para que não haja enganos ou possíveis dúvidas, o Centro de Deformidades da Face faz uma análise minuciosa do quadro do paciente, com exames clínicos e físicos, a fim de chegar ao diagnóstico correto, afirma o Dr. Bruno Chagas.
A forma de tratamento para essas desordens começa sempre pela maneira mais conservadora, com fisioterapia, medicamentos, orientações, compressas, dieta específica e lavagem da articulação. Caso o paciente não evolua satisfatoriamente com o tratamento conservador, opta-se por traçar uma conduta cirúrgica, guiada por profissionais altamente qualificados como o Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro. 
Serviço:
CDF Rio – Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro
Dr. Bruno Chagas
Dr. Alexandre Maurity
Dra. Cristina Jardelino

25/04/2016

• Perda de massa muscular agrava o surgimento de doenças

Especialistas explicam como o corpo reage a falta de atividade física e má alimentação 

Muitas pessoas pensam que a prática de atividade física está ligada somente à beleza. Pelo contrário, isso se reflete não só na saúde física como também a saúde mental daquele que exercita o corpo com frequência para a manutenção do corpo. No Brasil cerca de 52% da população está acima do peso, segundo o Ministério da Saúde. 
Esses dados indicam que o país tem uma tarefa séria a se realizar: a conscientização dos benefícios da prática de atividades físicas. Mais do que emagrecimento, a musculação possibilita o fortalecimento da musculatura esquelética evitando doenças como artrite e artrose, por exemplo. De acordo com o personal trainer Carlos Vidal, “existe uma perda natural de massa muscular no decorrer da vida. O ser humano perde cerca de 0,5% de massa muscular ao ano e acima dos 60 passa a perder 1%. A única forma efetiva de frear o surgimento dessas doenças é a musculação”.
Além dessas doenças existe um outro agravante quando que a falta de atividade física pode gerar: a sarcopenia. Trata-se de uma síndrome caracterizada pela perda progressiva e generalizada da força e massa muscular, que ocorre em consequência do envelhecimento. No entanto, embora seja observada principalmente em idosos, também pode se desenvolver em adultos jovens, em casos de demência e osteoporose. Os principais fatores de risco para a sarcopenia incluem sexo feminino, sedentarismo, tabagismo, atrofia por desuso, saúde fragilizada e fatores genéticos.
Para controlar essa perda de massa muscular os nutricionistas recomendam o uso de suplementos alimentares. Com moderação, esses produtos servem para auxiliar o resultado que a atividade física apresenta no corpo, uma vez que não é possível encontrar na alimentação diária os nutrientes necessários. Sendo assim, os suplementos fazem o papel de complementar essa carência de vitaminas, minerais, proteínas, óleos essenciais, etc.
As proteínas são macromoléculas biológicas presentes em todos os seres vivos desempenhando um vasto conjunto de funções no organismo. Os alimentos mais ricos em proteínas são os de origem animal como, por exemplo, a carne, o peixe, ovo, leite, queijo e iogurte.
A Highlab é uma empresa situada na Barra da Tijuca, no estado do Rio de Janeiro, que produz e vende whey protein, suplemento alimentar de altíssimo valor biológico que auxilia na manutenção da massa magra do corpo. De acordo com o proprietário da empresa, João Moraes, “não queremos ser vistos como mais uma empresa no mercado de suplementação. Buscamos ser diferentes, construir novas ideias e expectativas. Somos ambiciosos o bastante para mudar a forma que as pessoas veem o mercado, para que a cada dia mais homens e mulheres busquem ter saúde e acima de tudo satisfação consigo mesmos”.
O público alvo da empresa, segundo João, são pessoas que decidiram mudar de vida e cansaram do sedentarismo. “O suplemento ajuda no preparo, na performance e no emagrecimento, se usado de forma adequada. O whey protein tem a função de auxiliar a manutenção da massa magra, como também tonifica os músculos, sem produzir, mas pelo contrário, muitas vezes até diminui a massa gorda”.
Os produtos são vendidos pela loja virtual e física. “Com nossa fábrica e parcerias com os melhores fornecedores de insumos do mundo a equipe de desenvolvimento de produtos da Highlab estabelece essas premissas como bases para o nosso negócio. Através da criação de produtos diferenciados pela qualidade dos ingredientes e formulações que atendem aos padrões de qualidade e segurança rigorosos, temos desenvolvido uma base de clientes fiéis que nos permite continuar a formular produtos eficazes”, conclui Moraes.
Serviço: Highlab
João Moraes
(21) 2143-0644
(21) 99147-3340
highlab@highlab.com.br
Barra World – Shopping & Park - Av. Alfredo Baltazar da Silveira, 520 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ.

22/04/2016

• ALIMENTAÇÃO SEM GLÚTEN E DOENÇA CELÍACA

fonte iamgem: www.cnn.com
Número de diagnósticos da doença é duas vezes maior em mulheres. Entenda o porquê e como ficar atenta aos sintomas

A doença celíaca tem sido diagnosticada nas mulheres na proporção de duas para cada homem. Embora os sintomas intestinais ainda sejam os principais alertas para o diagnóstico da doença no Brasil, muitos outros sintomas não clássicos podem se manifestar e tornam a descoberta da doença complexa. Por isso, é importante estar atenta a alguns alertas enviados pelo corpo feminino, como distúrbios no ciclo menstrual, osteoporose e até mesmo infertilidade.

Além de mais propensas a desenvolver a doença, as mulheres também costumam procurar um diagnóstico para seus problemas de saúde antes do que os homens. Um motivo a mais para o número de diagnósticos ser maior no público feminino.

O mesmo acontece com a síndrome do intestino irritável. A incidência em mulheres é de 1,5 até 3 vezes maior do que nos homens. Internacionalmente, estima-se que 14% das mulheres e 8,9% dos homens apresentem a síndrome do intestino irritável.

Sintomas nas mulheres

De acordo com estudos, 70% das mulheres relatam “inchaço da barriga” como um dos primeiros sintomas e 40% abordam diarreia entre os sintomas primários. Outros alertas comuns da doença celíaca são: desconforto gástrico, intolerância secundária à lactose, estearreia (excesso de gorduras nas fezes), fadiga e perda de peso. Mas entre as mulheres alguns outros sintomas podem surgir como indicativo da doença. Confira a seguir alguns deles:

•          Gravidez: a gestação também pode ser mais preocupante para uma mulher celíaca, principalmente se a doença ainda não estiver diagnosticada. Ela pode desencadear anemia grave, descolamento de placenta e até mesmo um aborto.

•          Problemas hormonais: atrasos de menstruação e até menopausa precoce também são sintomas que foram percebidos em mulheres recém-diagnosticadas celíacas. Muito provavelmente, esses sintomas são consequência da má absorção de nutrientes pelo intestino, um dos principais problemas causados pela doença. Esta deficiência na absorção de nutrientes acontece porque a ingestão de glúten gera lesões no intestino de quem é celíaco, diminuindo parte do funcionamento do órgão.

•          Osteoporose e anemia: em um estudo recente, 40% das mulheres relataram anemia antes de serem diagnosticadas com a doença celíaca. Assim como no exemplo acima, esta ocorrência pode estar ligada à má absorção de nutrientes pelo intestino. A doença celíaca não diagnosticada também aumenta significativamente o risco de osteoporose, outra doença que ocorre em mulheres com muito mais frequência do que nos homens.

Por isso, é importante não negligenciar nenhum sintoma e sempre procurar orientação médica. O acompanhamento médico e nutricional é fundamental para adaptar a dieta a cada caso e garantir uma alimentação saudável e completa.

Lembrando que Maio é o mês do Dia Internacional dos Celíacos, o que seria uma ótima ocasião para abordar o assunto!

Sugestões de fontes

A marca possui um relacionamento muito próximo com os clientes e já teve a oportunidade de conhecer muitas histórias únicas no Brasil. Outro diferencial é a proximidade com a comunidade médica, nutricionistas e outros profissionais da saúde, para o estímulo ao desenvolvimento de pesquisas e informações sobre a doença celíaca. Por isso, encaminho a seguir algumas sugestões de personagens que podem render entrevistas para uma pauta sobre doença celíaca, seja no aspecto comportamental da descoberta da doença e diagnóstico a adaptação alimentar:

Especialistas

•          Inês Camila Alves, nutricionista da Dr. Schar Brasil e consultora em doença celíaca. A fonte explica que “a doença celíaca é uma enteropatia (doença intestinal) inflamatória autoimune causada pela ingestão de glúten presente em ingredientes como trigo, centeio, cevada e malte. Acomete o intestino delgado causando sua atrofia e dificultando a absorção de nutrientes”. Ela pode dar dicas de receitas e falar sobre a adaptação comportamental e alimentar necessária para quem possui uma doença glúten-relacionada.

•          Mauro Bonatto, gastroenterologista, endoscopista, doutor em doença celíaca e mestre em doenças do intestino delgado. O doutor revela que um dos motivos que dificultam o diagnóstico precoce da Doença Celíaca e de outras patologias glúten-relacionadas é a falta de preparo da classe médica. “Em um estudo que fiz no Brasil, há dois ou três anos, pesquisei quantas consultas o paciente teve antes de chegar ao diagnóstico. Foram realizadas em torno de seis a oito consultas antes de chegar ao diagnóstico. Conclusão: muitas vezes o paciente passa anos e anos sem ser diagnosticado”, revela Bonatto. Segundo o especialista, estudos realizados em Wyoming e na cidade de Chicago, nos EUA, mostraram que 90% dos celíacos ainda desconhecem possuir a doença. Um dado alarmante e que pode culminar no desenvolvimento de outras doenças relacionadas à má absorção de nutrientes pelo intestino lesado, como osteoporose e anemia.

•          Lorete Kotze, Gastroenterologia, Professora de Gastroenteorologia da Universidade Federal do Paraná e International Member of the American College of Gastroenterology. Doutora em Gastroenterologia Clínica pela Unifesp-EPM. Membro Titular da Academia Paranaense de Medicina. Uma das principais autoridades do país em doença celíaca e sensibilidade ao glúten, representa o país em congressos internacionais sobre o tema. É também fundadora da Associação dos Celíacos no Paraná (Acelpar). Pode falar de todo o processo de descoberta das doenças glúten-relacionadas, principais sintomas e sintomas atípicos, além de abordar a fase de adaptação à exclusão do glúten.


Personagens

•          Ticiana Menezes, diretora de vendas e marketing da Dr. Schar Brasil
A história de Ticiana Menezes e de sua mãe, Silvana Krieger, se mistura com a própria vinda da Dr. Schär para o país. Diagnosticada com a doença celíaca com mais de 50 anos, após investigar o quadro de osteoporose precoce, Silvana descobriu a Schär por indicação de sua médica, Dra. Lorete Kotze, uma das grandes especialistas em doença celíaca no Brasil. Em visita à filha, que à época morava na Suíça, ela encontrou na Europa uma série de alimentos para quem não pode incluir glúten na dieta, como bolos, pães e farinhas. Alegre, apresentou os produtos com entusiasmo à filha e ao genro. E foi assim que Ticiana e Fernando perceberam que ali havia mais do que uma série de produtos: estava o carinho, o prazer e a felicidade de poder voltar a comer uma série de alimentos. Pouco tempo depois, Ticiana também se descobriu celíaca, uma vez que a doença tem caráter genético – a pessoa tem que ter os genes para ter pré-disposição a desenvolver a doença. A fonte pode abordar desde detalhes mais comerciais da marca, até mesmo contar como foi a fase do diagnóstico, adaptação alimentar e preparo emocional.

•          Adriana Ferrari, mãe de família
A moradora do interior de São Paulo, Adriana, 45 anos, se descobriu celíaca há seis anos. Com dores localizadas no corpo, passou por vários médicos, apresentando alguns sintomas não relacionadas aos sintomas gastrointestinais, até descobrir a doença. Sua história ajuda a confirmar o dado sobre a demora no diagnóstico da doença celíaca: no Brasil, a média entre os primeiros sintomas e o diagnóstico é de 10 anos.

•          Cendofanti: uma família que adotou a dieta glúten-free
O casal Ana Claudia e Paulo descobriram há cerca de quatro anos que as duas filhas pequenas têm a doença celíaca. Foi então que entraram na dieta livre de glúten para apoiá-las na adaptação. Além da doença celíaca, Sarah possui desde os 2 anos de idade diabetes tipo 1 e começou a apresentar problemas de crescimento aos 4 anos. Foi ao acompanhar o caso da filha de uma amiga, que Ana Claudia passou a desconfiar dos sintomas da filha. “Insisti para o médico à época fazer exame para doença celíaca, mas ele achou que era exagero, porque ela não tinha problema de anemia ou outro sintoma mais característico”, relembra. Hoje Sarah tem 8 anos e Sophia 6 e estão completamente felizes e adaptadas à dieta sem glúten. Uma história que passa, inclusive, pela adaptação da escola e que levou Ana Claudia a desenvolver uma série de cursos na área de culinária, para aprender a adaptar receitas sem o uso de glúten.

Sobre a Schär
Presente em mais de 60 países, a Schär é líder mundial em alimentação sem glúten. A marca chegou ao mercado brasileiro em 2012 e desde o final de 2014 atua diretamente no Brasil por meio de sua filial administrativa e comercial, na cidade de Curitiba (PR). Os 150 pontos de vendas iniciais já se transformaram em mais de 3 mil, cobrindo todas as regiões do país. Atualmente, são mais de 30 produtos disponíveis para o público brasileiro. Mais do que oferecer uma alternativa para quem precisa ou opta por seguir uma dieta sem glúten, a Schär tem compromisso com o sabor e o prazer à mesa. Porque alimentar-se bem é saber fazer as melhores escolhas.

20/04/2016

• Quatro dicas fáceis para se maquiar em casa

Conheça formas fáceis de fazer maquiagem sozinha 

Você tem dificuldade para fazer a maquiagem sozinha? Tem uma festa de casamento ou um aniversário, mas não sabe como e quais produtos usar? Essa é uma dúvida recorrente e muitas mulheres enfrentam problemas ao tentar fazer a maquiagem sem conhecer as diversas técnicas existentes nesse universo de cores e texturas.

A maquiadora Rebeca Neves descobriu na maquiagem uma forma de trabalhar e realizar seus sonhos ao mesmo tempo. “Minha paixão pela maquiagem começou aproximadamente há 5 anos. Percebi uma forma de realçar a beleza natural das mulheres, e acabei me encantando pelo seu resultado. Pelo seu poder de elevar a autoestima e de fazer a mulher se sentir mais bonita e poderosa. E, o mais importante, ver a beleza interior de cada uma aflorar - isso é o mais gratificante”, revela.

Partindo desse princípio, a profissional separou quatro dicas simples para fazer maquiagem em casa sem muito esforço. 


1ª dica:

Você sabe as funções que um primer tem na pele? A maquiadora conta que o primer é importante não só para a durabilidade da maquiagem, mas também para fechar os poros da face. Sua aplicação é muito simples. Primeiro distribua uma quantidade suficiente para toda a face. Depois, espalhe com pincel específico ou com os próprios dedos. 



2ª dica:

O mercado da maquiagem apresenta mil e uma maneiras de esconder as imperfeições como olheiras, acne, manchas de sol, entre outras, através do corretivo. Existem, aliás, várias cores diferentes, uma para cada função. Mas uma dúvida corriqueira das mulheres é: como passar o corretivo? Aplica-se corretivo em possíveis manchas do rosto e embaixo dos olhos. No último caso, para esconder olheiras é importante fazer um triângulo abaixo dos olhos e espalhá-lo (de preferência) com um pincel. O indicado é escolher um corretivo de cobertura média a alta, de um a dois tons mais claros que sua tonalidade. 



3ª dica:

Você já ouviu falar que usar o lápis dentro do olho deixa o olhar menor, não é? Para ter o efeito contrário e realçar o olhar, a dica é passar duas camadas de lápis e/ou delineador. Essa camada extra realça os olhos e proporciona um olhar mais marcante. 



4ª dica:

A maioria das mulheres sente dificuldade em colar cílios postiços, pois é uma das tarefas que mais exige coordenação e delicadeza na hora de se maquiar. Segundo Rebeca, o primeiro passo é cortar o par de cílios no tamanho de seu olho. Em seguida, passar uma cola de qualidade nos cílios postiços, jamais na pálpebra rente aos cílios naturais. Esperar de 30 segundos a 1 minuto, para a cola secar parcialmente e adquirir aderência. Aplicar os postiços nos olhos com uma pinça ou com os dedos. Usar curvex para juntar os cílios naturais aos postiços. Passar rímel.

O projeto principal da profissional no momento é dar aulas de automaquiagem que auxiliem as mulheres a se maquiar em casa com técnicas especiais que as deixam ainda mais bonitas.

Por uma aula com duração média de 4 horas e com investimento a partir de R$50,00, você e suas amigas podem contratar esse serviço no Rio de Janeiro. De brinde, levam uma apostila com 10 dicas de automaquiagem. Para mais informações, entre em contato pelo e-mail rebecavneves@gmail.com ou pelo telefone comercial 21 982979776.

​Serviço:
Rebeca Neves
Maquiadora
​21 98297-9776
​Instagram @rebecavneves

18/04/2016

• Tudo o que você precisa saber sobre TPM

Fonte da imagem: corpomentesaude.info/
Francisco Furtado Filho*

 A TPM ou Síndrome Pré-menstrual é o período cíclico que precede a menstruação. Nesse intervalo de tempo, podem aparecer sintomas psíquicos e físicos, que geralmente desaparecem no primeiro dia do fluxo menstrual. Em algumas mulheres, a TPM é interrompida somente com o fim do fluxo.

 A principal causa da TPM é a alteração hormonal durante o período menstrual, que interfere no sistema nervoso central. Parece haver uma conexão entre os hormônios sexuais femininos, as endorfinas (substâncias naturais ligadas à sensação de prazer) e os neurotransmissores, tais como a serotonina. É importante ressaltar que essa síndrome acompanha a menstruação normal da mulher.

SINTOMAS 

Os sintomas na TPM causam diversos desconfortos à mulher, dividindo-se em: sintomas emocionais e sintomas físicos. Os sintomas emocionais são: depressão, vontade de chorar, irritabilidade, ansiedade, insônia, fome em excesso ou falta de apetite, sonolência, dificuldade de concentração e cansaço. Já os sintomas físicos são: dor de cabeça, acne, aumento de peso, inchaço nas mamas, dores osteomusculares e distensão gasosa.

Para caracterizar a TPM não é necessária a ocorrência de todos esses fatores, que devem desaparecer com o fluxo para serem chamados de síndrome pré-menstrual.

DIAGNÓSTICOS  

A TPM atrapalha a vida pessoal e profissional de diversas mulheres por todo o mundo todos os meses. Essa tensão é gerada por alterações hormonais que antecedem a menstruação. Em geral, os sinais da TPM aparecem na metade do ciclo menstrual e desaparecem em até dois dias após o início da menstruação.

O diagnóstico da tensão pré-menstrual costuma ser demorado, principalmente pela falta de exames que comprovem a sua existência. As mulheres que têm sintomas mais severos passam por diversos médicos e demoram anos para serem diagnosticadas. É preciso uma combinação dos sintomas condizentes e a fase do ciclo menstrual exato para serem diagnosticadas com TPM. Outra questão é que a maioria das mulheres que têm sintomas intensos de tensão pré-menstrual não procura ajuda médica, por acreditarem que são normais, ou por acreditarem que o médico não dará importância para a sua queixa.

Apesar de não ter diagnóstico e tratamento exatos, a TPM pode ser caracterizada por um quadro de sintomas que podem ser amenizados por meio do tratamento correto. Se você passa por esse sofrimento todos os meses não espere pela sua próxima menstruação, procure o quanto antes um ginecologista, explique seu problema e inicie o melhor tratamento para o seu caso. TPM tem tratamento!   

TRATAMENTOS E CUIDADOS

Por se tratar da TPM, não existe um tratamento específico, já que os sintomas variam muito de intensidade para cada mulher. Entretanto, há medidas que aliviam os sintomas.

O melhor caminho para o tratamento da TPM é consultar um médico ginecologista e descrever para ele todos os sintomas que a mulher sente antes e depois da menstruação. O melhor medicamento é o que, sozinho ou associado, reduza os sintomas.  Como essa síndrome está ligada à ovulação, muitas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional, que suspende a ovulação. Nos Estados Unidos, a FDA (Órgão Regulatório dos Estados Unidos) aprovou a pílula com drospirenona e etinilestradiol, para mulheres que têm sintomas de TPM e desejam anticoncepção hormonal.

Já nos casos graves de síndrome disfórica pré-menstrual, é necessária uma medicação mais específica. Atualmente, o tratamento usado com melhores resultados são os antidepressivos. Estudos recentes mostram que essa medicação, usada na menor dose possível e durante a fase de tensão pré-menstrual, tem melhorado muito a qualidade de vida das mulheres que experimentam essa disfunção.

Também nesses casos a pílula anticoncepcional com drospirenona e etinilestradiol pode ser usada.
 Resultados não cientificamente comprovados mostram que a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados na melhora dos sintomas. Outro medicamento é o ácido gama linoleico, que é um ácido graxo essencial e pode ser encontrado no óleo de prímula. Existem advertências sérias do FDA americano a respeito de medicações alternativas naturais e de possíveis efeitos colaterais graves, portanto, esse ou qualquer outro medicamento, mesmo que “natural”, só deve ser usado mediante prescrição médica.

CONVIVENDO 

Para muitas mulheres, a TPM pode atrapalhar as tarefas diárias, sejam profissionais ou pessoais.  Para amenizar os sintomas da TPM, as seguintes ações são indicadas:

Realize atividades que proporcionem bem-estar, como passear no parque;

Faça uma atividade física. Pode ser uma caminhada ao ar livre, andar de bicicleta, nadar ou jogar tênis. Isso ajuda a reduzir a tensão e a melhorar a autoestima;

Evite agendar compromissos importantes para os dias que antecedem a sua menstruação;
Procure cuidar de seu corpo, mesmo que você não vá sair de casa. Isso também ajuda a elevar a sua autoestima;

Afaste os pensamentos negativos, seja otimista e mentalize coisas boas;

Procure fazer uma alimentação balanceada com verduras, frutas e legumes;

 Diminua o sal. Ele ajuda a desencadear os inchaços, pois contribui na retenção de líquidos;

 Redobre os cuidados com a pele. O aumento de oleosidade da pele e surgimento de acnes está relacionado com esse período. Por isso, a boa alimentação é fundamental;

 Evite o consumo excessivo de carboidratos e açúcares, como doces, chocolates e amendoim.


Dr. Francisco Furtado Filho, médico ginecologista do Hospital VITA.  

15/04/2016

• Aprenda o passo a passo de cuidados com as axilas

Cuidar das axilas é importante tanto para a higiene e saúde como para a beleza da pele. Às vezes, alguns cuidados acabam sendo esquecidos. Confira dicas da Netfarma.

Você cuida realmente bem das suas axilas? Embora essa região do corpo possa passar a maior parte do tempo escondida sob as roupas, é fundamental adotar alguns hábitos básicos no dia a dia para manter a pele dessa área sempre limpa, saudável, hidratada e livre de manchas escuras. 
"As axilas são uma região delicada da pele e que pode facilmente apresentar irritações se não for bem tratada. Problemas como vermelhidão, manchas e outros desconfortos não são incomuns", conta a dermatologista consultora da Netfarma.com.br , Geane Argolo. "Por isso, recomenda-se incluir alguns cuidados na rotina para preservar a saúde da região", ela acrescenta.    
Confira as orientações gerais da especialista para manter as axilas em dia:
  •  Mantenha a região limpa: A axila é uma das áreas do corpo que mais transpira. Por isso, é fundamental manter a região sempre limpa e seca. Quem sofre com a sudorese, a fim de evitar o odor na região, não aplique o desodorante sem antes lavar a área, com a água e sabão. Caso contrário, pode contribuir para proliferação de bactérias na região contribuindo para a persistência do odor no local.
  •  Escolha bem o desodorante: Leia bem o rótulo e opte por produtos sem álcool e parabeno na fórmula, pois essas substâncias podem agredir as axilas deixando mais vulneráveis às dermatites irritativas. Peles mais sensíveis e ressecadas pedem desodorantes hidratantes, por isso as versões em roll on e creme costumam ser as mais indicadas. O desodorante em versão aerossol é uma boa opção para quem tem pele normal e mais resistentes.
  • Cuidado com a depilação: Passar a lâmina com muita frequência nas axilas pode causar irritação da pele e pêlos encravados. Caso note esses desconfortos, opte o creme depilatório ou depilação a laser. No caso do creme, escolha os específicos para as axilas, e que contenham hidratante. O laser é uma técnica indicada, pois deixa os pêlos mais finos e diminui a quantidade. No entanto, são necessárias em média 6 a 10 sessões para obter um resultado satisfatório. No caso da depilação com cera, deve haver cuidado para não manchar ou escurecer a pele. Para evitar esse problema, é preciso evitar a exposição solar por alguns dias após a depilação. Se a técnica for com cera quente é preciso executar na temperatura adequada, para evitar queimaduras. A cera depilatória também pode tirar a camada de proteção da pele, deixando-a mais exposta e vulnerável.
  • Invista na hidratação: Por ser uma região sensível, é preciso manter a pele das axilas sempre hidratada. Para isso, quando passar creme hidratante no corpo, espalhe também nas axilas, massageando a região. Tome cuidado para que estejam bem secas antes da aplicação. Opte pelos cremes, deixando de lado os óleos hidratantes, que podem causar oleosidade excessiva e obstruir os poros, originando processo inflamatório nos folículos pilosos.
  • Faça esfoliação: Esfoliar a pele das axilas também é uma boa dica, pois ajuda a remover as impurezas, células mortas da região e resíduos do desodorante. Você pode usar uma bucha vegetal para fazer a esfoliação durante o banho. No entanto, não exagere, faça somente uma vez por semana, ou poderá sensibilizar a pele.
 *A Dra. Geane Argolo é dermatologista consultora da Netfarma e atende na Clínica Dr. Família

Sobre a Netfarma –Netfarma  é a loja online próxima, confiável, transparente, prática e conectada que oferece todos os produtos de saúde, beleza, higiene e perfumaria, inclusive medicamentos, cosméticos e suplementos, para atender às necessidades dos clientes de qualquer lugar do Brasil. Através do site Netfarma.com.br  ou do call center (11) 4619-8800, você encontra remédios e produtos de saúde, beleza e de farmácia online de forma simples, rápida, fácil e segura. O serviço da Compra Automática  permite que a assinatura dos produtos de uso frequente, sem ter que repetir o processo de compra todos os meses. Fundada em 2012, com sede administrativa e centro de distribuição em Carapicuíba, na Grande São Paulo, a Netfarma prioriza o cuidado e discrição com o pedido, que chega protegido na #netbox. A empresa conta com o selo Diamante da e-bit, concedido às empresas que demonstram comprometimento com a satisfação do consumidor.  

13/04/2016

• A importância do desabafo

Psicólogo fala sobre a manutenção da saúde mental

De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde, a OMS, aproximadamente 121 milhões de pessoas estão depressivas no Brasil. Esses números colocam o país como líder no ranking de população depressiva entre outros 18 países, segundo a um estudo publicado pela revista BMC Medicine. Dessa estatística, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) indica que 20% sejam adolescentes entre 11 e 19 anos.

Pensando nisso, o psicólogo João Alexandre Borba acredita que a manutenção da saúde mental do ser humano possa ser realizada de várias formas. Entre elas, o desabafo, a execução de atividades e ajuda de um profissional.


O poder do desabafo


“Desabafar em um momento de crise pode acalmar demais a mente. A pessoa que guarda muito os problemas para si pode ocasionar um desgaste mental e desencadear doenças, como a depressão muitas vezes”, afirma o profissional.


Diante de uma crise, como desemprego, morte de um ente da família ou uma grande perda, a facilidade com que se atinge a depressão é muito maior nesse período. Segundo o psicólogo, “a crise deixa as pessoas muito vulneráveis, fazendo com que elas percam a esperança. Nem sempre as pessoas têm condições de ir a um psicólogo, mas podem desabafar com um amigo ou para algum conhecido, já ajuda a melhorar”.


Realize atividades que movimentem a rotina


Para manter uma boa saúde mental é importante que a pessoa execute tarefas durante o dia que a levem a produzir, seja para um resultado simples ou mais complicado. “Em momentos de crise algumas pessoas param e esperam que essa crise passe, mas é importante estar em movimento. Em caso de desemprego, por exemplo, mandar currículos para empresas que estejam contratando; prospectar mais se caso a empresa esteja perdendo o cliente e procurar clientes, maneiras de que eles venham até a empresa”, indica Borba.


Dessa forma, as pessoas que se encontrarem em situações de crise emocional podem procurar ajuda em casa, com a família, os amigos ou, se houver condições, o atendimento psicológico pode auxiliar nesta questão.


Serviço:
João Alexandre Borba
Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo
joao.alexandre@live.com
www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

11/04/2016

• 4 doenças do coração que mais matam

Problemas cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) As doenças cardiovasculares lideram o número de mortes no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Apenas no Brasil, são 300 mil pessoas por ano. Ou seja, um óbito a cada dois minutos. Entre as doenças que mais matam estão o acidente vascular cerebral (AVC), doença vascular periférica, o infarto agudo do miocárdio e a morte súbita. “Entre as características mais comuns são a presença dos fatores de risco como o tabagismo, hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemia e obesidade. Os três primeiros citados são fatores que isoladamente são capazes de gerar um evento cardio ou cerebrovascular e em conjunto são responsáveis por cerca de 80% das doenças do coração que mais matam”, explica o cardiologista credenciado da Paraná Clínicas, Valdir Lippi. “O acompanhamento médico regular torna-se importante não só no controle das doenças já instaladas, mas principalmente na prevenção através da detecção precoce e intervenção nos fatores de risco. Além da orientação, caberá ao médico decidir sobre a necessidade do uso de medicações com o objetivo de evitar que um evento ocorra. Lembre-se que são doenças graves e potencialmente fatais e devem ser acompanhadas com muito rigor”, menciona. As doenças que mais matam AVC: O acidente vascular cerebral acontece quando há entupimento ou rompimento dos vasos que levam o sangue ao cérebro. O AVC causa a paralisia da área cerebral que ficou sem a circulação sanguínea. Doença vascular periférica: Está relacionada com o estreitamento e endurecimento das artérias que realizam o transporte do sangue para os membros inferiores. Infarto agudo do miocárdio: Popularmente conhecido como ataque cardíaco, o infarto agudo do miocárdio é caracterizado pela diminuição ou ausência da circulação sanguínea no coração. Morte súbita: A maioria dos casos de morte súbita está relacionada com doenças do coração. Conhecidas ou não, podem ser congênitas, degenerativas, excesso de atividades físicas, inflamatórias e provocadas por reflexo nervoso, por exemplo. A morte súbita é considerada para os casos onde o óbito é constatado na primeira hora após o início dos sintomas. Fatores Apesar de fatores como a predisposição genética, os maus hábitos de vida ainda dominam as estatísticas como principal causa. Entre os fatores de risco estão um alimentação inadequada e rica em gordura saturada, diabetes, hipertensão, sedentarismo, sobrepeso e tabagismo. 12 dicas para a prevenção 1. Realize um check-up, pelo menos, uma vez por ano 2. Evite fumar 3. Recupere o histórico familiar 4. Tenha uma alimentação saudável 5. Pratique atividade física com orientação de um profissional 6. Beba água 7. Procure um médico imediatamente caso tenha dor no peito ou no tórax acima do umbigo 8. Preste atenção no peso 9. Evite ficar estressado 10. Monitore o colesterol 11. Cheque sua pressão arterial 12. Visite um cardiologista regularmente Sobre a marca Facebook: http://facebook.com/paranaclinicas.saude Instagram: http://www.instagram.com/paranaclinicas Site: http://www.paranaclinicas.com.br Há mais de 46 anos no mercado, a Paraná Clínicas Planos de Saúde Empresariais oferece soluções em saúde para seus clientes. Atualmente possui sete Centros Integrados de Medicina (CIM), que estão localizados nos bairros Batel (única Unidade Infantil de plano de saúde que oferece atendimento exclusivo 24 horas em Curitiba), Água Verde, Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e nos municípios de Araucária, Fazenda Rio Grande, Rio Branco do Sul e São José dos Pinhais. O CIM - Água Verde, por sua vez, possui mais de 80 consultórios médicos, realiza consultas a partir de 35 especialidades médicas e está posicionado como o primeiro empreendimento da capital paranaense a atender 100% das normas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Outra inovação dessa estrutura é o Hospital Dia, projetado para oferecer o que existe de mais moderno em procedimentos cirúrgicos de baixa-complexidade e que possui 17 leitos. Já o CIM - CIC, localizado no bairro mais populoso de Curitiba e polo industrial da cidade, foi ampliado em 2013 e, agora, conta com 1.300 m² de área total e atendimento 24 horas para clínica geral e pediatria, com capacidade para realizar consultas médicas eletivas em diversas especialidades e, ainda, de urgência e emergência em clínica geral, ortopedia e pediatria.

08/04/2016

• O ser humano é mal educado?

Psicólogo fala sobre a importância de usar a educação simplificada no dia a dia

As guerras e atentados ocorridos pelo mundo afora durante anos remetem à questão da educação simplificada, dos simples “obrigado”, ”por favor”, “com licença”, por exemplo. O ser humano deixou de realizar essa tarefa durante o dia a dia e isso tem desencadeado situações desagradáveis em casa, no ambiente de trabalho e até mesmo nas ruas.

Dessa forma, o psicólogo João Alexandre Borba acredita que a tarefa de pôr em prática a educação simplificada é uma via de mão dupla. “Ao tratar o outro com delicadeza, você impulsiona a vontade dele em ser delicado também”, diz. Uma vez que a convivência é feita entre várias pessoas, é sempre necessário ter noção do espaço do outro na sociedade.

Segundo o profissional, “coisas simples como “bom dia”, “obrigado”, “com licença” podem fazer com a pessoa sinta-se bem em relação ao outro”. Esse tipo de atitude reflete nas relações sociais humanas, de modo que “quando bem feito, em fazer o outro se sentir confortável na sua presença”, aponta Borba.

Do ponto de vista psicológico, “uma palavra bem educada em relação as mais ásperas faz com que as pessoas comecem a priorizar o bom trato do outro”. Nessa questão também cabe a empatia, pois “tratar bem o próximo, falar coisas boas para o outro está muito ligado ao que está acontecendo dentro de mim, sendo assim, se eu estou bem, tratarei bem o outro também”.

Sendo assim, de acordo com o profissional, é importante que se estabeleça bem um convívio com as pessoas por meio da educação simplificada, com pequenos gestos, mas também é importante estar de bem consigo mesmo para que essa sensação boa possa externar para o restante das pessoas com quem convivemos durante a vida.

Serviço: 
João Alexandre Borba
Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo
joao.alexandre@live.com
www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

06/04/2016

• 6 passos para malhar na gravidez

Profissional explica os benefícios de fazer atividades físicas durante a gestação

Durante a gestação, é muito importante que a futura mamãe cuide da saúde para garantir uma boa gravidez e assegurar que o bebê seja saudável também. Mas muitas gestantes não sabem que podem realizar atividades físicas durante o período de nove meses. Algumas dúvidas em relação ao peso, a elasticidade e também ao tempo do exercício são comuns nesse período.

Pensando nisso, a personal gestante Roberta Gabriel, educadora física, formada na Universidade Federal do Rio de Janeiro, separou algumas dicas para que as mamães possam manter os exercícios em dia, sem afetar a saúde da gestante e do bebê.

“O personal gestante é um educador físico especializado em planejamento de exercícios para gestantes e puérperas, que são as mulheres que deram à luz há pouco tempo. A verdade é que as pessoas têm medo de mulher grávida, por conta dos problemas que podem acontecer no meio do caminho. Por isso é legal ter alguém por perto que seja dedicado ao assunto”, explica a personal gestante Roberta Gabriel.

1. Os exercícios

Assim como uma dieta, os exercícios são indicados de acordo com cada corpo e necessidades individuais. “Os treinos das mulheres grávidas estão longe de ser uma adaptação de atividades normais com a carga reduzida. Eles têm que ser controlados, sem impacto e que visa o aumento do tônus das musculaturas afetadas na gravidez e no parto, como assoalho pélvico, costas e abdômen”, indica a profissional.

2. Os benefícios

“Manter o corpo ativo ajuda ainda a amenizar os desconfortos que a gravidez naturalmente traz como dor nas costas e inchaço, é importantíssimo para lidar melhor com a onda de hormônios e controla o surgimento de doenças próprias da gestação como a diabetes gestacional e a hipertensão. Melhora também a autoestima e a qualidade do sono, aumenta a sensação de bem-estar e atua efetivamente no controle do ganho de peso”, diz Roberta. Praticar exercícios durante o período gestacional prepara o corpo para o momento do parto, principalmente em casos de parto normal, auxiliando na elasticidade, bem como o processo pós-nascimento do bebê.

3. Cuidando do futuro do bebê

De acordo com Roberta Gabriel, diversos estudos comprovam que os benefícios da atividade regular da mãe chegam ao feto. Dentre elas o aumento de oxigenação e a melhora do fluxo de sangue que ajudam na melhor formação dos órgãos. Há ainda menores chances de gerar um filho obeso e com diabetes.


4. Atenção aos limites!


Tudo que é feito com exagero, dá errado. Na malhação não é diferente. A profissional explica que é preciso manter um cuidado redobrado no período da gestação. Primeiramente, atenção as articulações. “Durante a gravidez, o corpo produz um hormônio chamado relaxina. Ele deixa os ligamentos mais frouxos e a chance de torcer pés, tornozelos e punhos aumentam bastante. Além do desconforto da dor e da demora na recuperação, a queda pode machucar a barriga”, explica Roberta. Em segundo lugar, praticar a respiração de maneira correta. Ficar ofegante é ruim para a saúde do bebê. Quando a gestante sente dificuldade ao realizar um exercício, automaticamente o feto sente essa redução de circulação de oxigênio, o que pode fazer mal a ele. O mesmo raciocínio se aplica à frequência cardíaca, que não deve passar de 140 batimentos por minuto, segundo a profissional.

5. Frequência de exercícios

Segundo os especialistas, as gestantes podem se exercitar diariamente por, no mínimo, 30 minutos a partir do começo da gravidez, até o dia do parto. “A intensidade e o tipo de movimentos deve ser adequado para cada mãe, mas alguns cuidados servem para todas. As abdominais convencionais de academia, por exemplo, são abolidas porque aumentam a pressão na região e podem desencadear um trabalho de parto prematuro. No lugar, entram esforços adaptados”, explica Roberta. Vale lembrar também que é sempre melhor treinar em períodos de temperaturas mais amenas.

6. O que pode e o que não pode?

Atualmente as mamães não frequentam apenas as aulas de hidroginástica, e tem investido em outros tipos de exercícios físicos. De acordo com a personal gestante, “Apesar da natação, pilates e caminhada serem as mais populares e recomendadas, as futuras mães estão liberadas para quase todas as modalidades, desde que seja recomendada pelo obstetra. Musculação, alongamentos, ioga, ginástica funcional e exercícios aeróbicos são todos bem-vindos”. No entanto, algumas atividades como vôlei e futebol, lutas em geral, surfe, stand up paddle, ciclismo, escalada ou qualquer outro que tenha risco de queda são estritamente proibidas.

Serviço:
Roberta Gabriel
Personal Gestante
CREF: 039927 - G/RJ

Tel. / WhatsApp: 21 96883-7474
contato@academiadagestante.com
http://www.academiadagestante.com.br/site/

04/04/2016

• Sua crise de meia idade já chegou?

Psicóloga fala de vantagens e desvantagens de uma idade avançada

A famosa crise de meia idade é um termo que foi criado por Elliott Jaques, em 1965. A expressão reflete a insegurança que os indivíduos sofrem ao perceber que uma grande parte da vida já passou e que a velhice se aproxima cada vez mais. Os primeiros sinais dessa fase são as mudanças no corpo e as dúvidas da mente, como “o que fiz até aqui na minha vida?”

De acordo com a psicóloga clínica Carla Ribeiro, os sinais são diferentes em homens e mulheres. “Muitas mulheres começam a se sentirem ‘sem função’. Com filhos criados e conquistas familiares alcançadas, elas se perguntam: ‘O que tenho para fazer agora?’, enquanto outras aproveitam para refazerem os planos, tratarem da auto imagem, renovam as relações sociais e viverem com maior qualidade de vida”, revela.

Já os homens possuem outros sintomas. Aqueles que já estão satisfeitos com as conquistas profissionais e familiares geralmente ousam comprar um carro melhor, fazer mais viagens e passam a fazer alguma atividade física. “Outros podem começar a se sentirem ameaçados pela proximidade da aposentadoria porque sempre se dedicaram somente ao trabalho com o interesse de prover a família, acabaram não conseguindo aproveitar melhor o convívio no lar e começam a se sentirem um ‘estranho no ninho’, quando percebem que os filhos cresceram e o relacionamento com a esposa, não é mais o mesmo”, conta Carla.

As transformações ocorrem em ambos os sexos porque tanto o homem quanto a mulher passam por mudanças hormonais nessa etapa da vida. A menopausa se aproxima delas, então irritabilidade, falta de motivação e até mesmo uma depressão leve são vistas no comportamento delas. Já eles se preocupam bastante com o desempenho sexual, tentam reestabelecer um relacionamento conjugal com a esposa, principalmente se ocorre qualquer problema de ereção. Isso se torna sinônimo de impotência e incapacidade masculina, o que afeta o orgulho deles. Assim, eles vão atrás de coisas que não faziam para ‘aproveitar a vida’ e acabam deixando de lado sua família e responsabilidades.

Por outro lado, essa fase da vida também pode trazer vantagens, como, por exemplo, retomar projetos pessoais. “O importante para homens e mulheres é não enxergar a meia idade como o fim da linha. Na verdade, essa etapa é o recomeço. Passar a trabalhar no que gosta, assumir um novo comportamento, estar mais próximo da família, resgatar o casamento com uma dedicação melhor um ao outro, ter uma relação sexual mais madura sem pressa e mais prazerosa são aspectos muito positivos”, afirma a psicóloga.


A recomendação principal de Carla é planejamento. “Planejar essa nova fase da vida é importante porque uma parte dela já passou e lhe proporcionou uma bagagem de experiências vividas e ensinamentos que você pode colocar em prática. Cuidar do corpo e da mente, modificar coisas que você não está gostando tanto, se livrar do que não sirva ou agrade e aprender algo novo são possibilidades que esse período proporciona”, explica.

Porém, caso você conheça alguém com problemas de aceitar a idade chegando ou que esteja extremamente preocupado com isso, busque ajuda. “Ambos os sexos podem precisar de apoio psicológico para enfrentarem melhor esta fase. E o melhor momento para se procurar ajuda, é quando a situação não tenha chegado ao extremo da tolerância”, conclui a especialista.

Serviço: Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem
E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com
Página: https://www.facebook.com/psicologacarlaribeiroRJ
Celular: 21 9.9908-1834
Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 - sala 1213, Jacarepaguá (Taquara), Rio de Janeiro/RJ.

02/04/2016

• 2 de abril: Dia Mundial de Conscientização do Autismo

A conscientização é a melhor forma para lidarmos com a doença e promover a qualidade de vida desses pacientes. Hoje, sábado, 02/04, é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data foi escolhida pela Organização das Nações Unidas (ONU), para promover a discussão do assunto, bem como a melhora da qualidade de vida dos autistas. Nesta data, pais, profissionais e governantes procuraram se unir para a conscientização e alerta de uma síndrome que cada vez mais afeta novas crianças. A Associação Catarinense de Psiquiatria (ACP) aproveita a data, também, para chamar à atenção para esta síndrome que só no Brasil atinge mais de 2 milhões de crianças. Crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) já começam a demonstrar sinais nos primeiros meses de vida: elas não mantêm contato visual efetivo e não olham quando você chama. A partir dos 12 meses, por exemplo, elas também não apontam com o dedinho. No primeiro ano de vida, demonstram mais interesse nos objetos do que nas pessoas e, quando os pais fazem brincadeiras de esconder, sorrir, podem não demonstrar muita reação. O diagnóstico do autismo é clínico, feito através de observação direta do comportamento e de uma entrevista com os pais ou responsáveis. Os sintomas costumam estar presentes antes dos 3 anos de idade, sendo possível fazer o diagnóstico por volta dos 18 meses de idade, assim como fala a médica psiquiatra da infância e adolescência, Maria Cristina Brincas: “Os pacientes com TEA caracterizam-se por apresentarem dificuldades importantes nas áreas de interação social, comunicação social e padrões repetitivos de comportamento, interesses e atividades. A linguagem verbal, quando desenvolvida, é restrita, com poucas iniciativas de comunicação.”. A doutora alerta também sobre as dificuldades dos pacientes em interagir socialmente, característica que pode acompanha o autista ao longo de sua vida: “As pessoas que apresentam esse transtorno não iniciam ou mantêm um diálogo; quando têm em vista uma possível socialização, comportam-se de modo inapropriado.”. O que é importante destaque que o autismo é uma doença que pode e deve ser tratada, e que os profissionais garantem bons resultados quando o tratamento é levado a sério pelo paciente e pelos familiares: “Uma equipe multidisciplinar composta, por exemplo, por profissionais da Fonoaudiologia, Psicologia, Psicopedagogia, Psiquiatria e Fisioterapia conduz o processo. Em alguns casos é necessário o uso de medicamentos para controlar sintomas específicos como agressividade, ansiedade intensa e hiperatividade.”, conclui Maria Cristina Brincas. Ainda sem saber ao certo o que causa o autismo, cientistas têm trabalhado em conjunto na busca por respostas. Segundo a ONU, no mundo, existem mais de 70 milhões de pessoas com autismo.

01/04/2016

• Hábitos nocivos deixam pés mais ásperos e grossos


Pouca ingestão de água, banhos quentes e demorados e o uso constante de sapatos e saltos apertados contribuem para o surgimento de ressecamentos e calosidades. 

O cuidado com os pés é algo que costumamos negligenciar. Há cosméticos para tudo em nossa casa: para a pele do rosto, para a área ao redor dos olhos, para as mãos, cabelos e até para a região do pescoço. Mas, quando perguntados sobre quais tipos de cuidados damos aos nossos pés, quase não há resposta. Fazer as unhas embeleza as unhas em si, e lixar os pés não conta, porque é uma ação que não os hidrata. Assim, todo esse descuido cede lugar para que surja uma pele grossa e áspera, deixando os pés sem beleza. Como no verão os pés ficam mais expostos, é importante redobrar os cuidados para mostrá-los bem cuidados.

As asperezas das extremidades do corpo, em especial na região dos pés, costuma ocorrer por conta da pouca hidratação, assim como pelos atritos com outras superfícies. No caso das mulheres, os saltos altos constantes expõem os pés ao atrito, poeira e vento, enquanto os homens costumam investir em sapatos apertados que não deixam os pés respirarem. O resultado desse descuido? Problemas como ressecamentos, rachaduras, bolhas e calosidades, que detonam não só a beleza, mas em alguns casos também a saúde dos pés.

Segundo a podóloga Cláudia Andrea Olindino, consultora da marca de cuidados com os pés Footner da MIP Brasil Farma (http://mipbrasilfarma.com.br/footner), hábitos nocivos que cultivamos em nosso dia a dia, como a pouca ingestão de água, banhos quentes demorados, excesso de peso, o uso constante de sapatos e saltos apertados e uma alimentação pobre em nutrientes também podem contribuir para surgirem pés mais ásperos e grossos.

Como a pele demora até um mês para se renovar, é recomendado o uso de cosméticos para tornar os pés menos ásperos. Para os casos quando o pé está ressecado, a podóloga recomenda uma hidratação constante. Não é recomendado esfoliar os pés para os casos onde há rachaduras graves. Neste caso, é fundamental procurar um podólogo. Fora isso, o ideal é esfoliar e hidratar na sequência. Já para quem convive com calcanhares ásperos e que incomodam, a recomendação da especialista é investir nas meia esfoliante, creme reparador e espuma hidratante para a região.

"As meias esfoliantes aceleram a renovação da pele dos pés e reduzem qualquer aspereza com uma aplicação de 60 minutos. A esfoliação mais intensa acontece até os 5 primeiros dias após a aplicação e o processo completo pode levar até 10 dias. Já o creme reparador de calcanhares e a espuma hidratante reduzem a aspereza e aumentam a maciez ao melhorar a aparência geral dos pés", observa Cláudia. Já a caneta contra calosidades elimina especificamente os calos.

Dicas simples podem deixar os pés menos ásperos no verão – Nos dias de muito calor, opte por usar sandálias e chinelos abertos para ventilar bem os pés. Neste caso, aumente a frequência da hidratação porque o uso de sapatos abertos nesta estação resseca mais os pés. Outra dica é evitar usar um sapato social bem apertado e moderar no uso do salto alto. "Manter esses hábitos pode conservar um calcanhar sempre áspero e ainda pode criar calosidades indesejadas", completa a podóloga.

Sobre MIP Brasil Farma — A MIP Brasil Farma é a representante brasileira do segmento de Medicamentos Isentos de Prescrição Médica. Com escritório administrativo localizado na cidade de São Paulo (SP), a empresa é focada na comercialização de um portfólio exclusivo no Brasil de marcas e linhas de produtos – especialmente dermocosméticos e nutracêuticos – que têm a inovação, segurança e eficácia comprovadas como principais características. A MIP tem como missão ajudar as pessoas a descomplicar a vida com escolhas inteligentes sobre o seu corpo e sua saúde para que se sintam bem, mais livres e bonitas. Para mais informações, acesse: mipbrasilfarma.com.br. Acompanhe a MIP no FB: www.fb.com/mipbrasilfarma e no Instagram: @mipbrasilfarma. 

Mais visualizadas na última semana