• Você já ouviu falar em ATM ou DTM?

Profissionais explicam as implicações e tratamentos nesses casos 

Com certeza você já escutou alguém dizendo que está com dor no maxilar, dificuldades para mastigar e dor nos dentes. No entanto, geralmente essas dores estão ligadas a outras condições mais complexas do que podemos imaginar. Os pacientes chegam aos consultórios cheios de dúvidas e para descobrir do que se trata, somente conversando com um profissional.
Diante disso, os especialistas do Centro de Deformidade Facial do Rio de Janeiro, explicam do que se trata as siglas ATM e DTM. Para quem não conhece, ATM é a abreviação de Articulação Temporomandibular, formada pela mandíbula, osso temporal, disco articular, entre outras pequenas estruturas. Tem como função abrir e fechar a boca. Já a DTM significa Disfunções Temporomandibulares, isto é, alterações funcionais que acontecem na região da articulação Temporomandibular. Sendo assim, a DTM representa consequência ao mal funcionamento da ATM.
Um dos principais causadores da DTM é o ranger dos dentes, conhecido popularmente como “Bruxismo”. De acordo com a Dra. Cristina Jardelino, essa condição também é reflexo de outras situações ocorridas na vida do paciente, como por exemplo, fatores emocionais (estresse e ansiedade), traumas direto na região da face, ausência dentária, uso de próteses mal adaptadas, hábitos para-funcionais como roer unhas, mascar chicletes rotineiramente, dormir de bruços, mastigar apenas de um lado, entre outras. Essa disfunção pode levar à dores severas na cabeça, no ouvido e no rosto, além de contraturas musculares nas regiões de pescoço, ombro e cervical. Os pacientes que possuem DTM também podem apresentar limitação à mastigação e estalos. 
Algumas pessoas revelam que, nessas condições, ouvem uma espécie de “zumbido” no ouvido e travamento ao abrir e fechar a boca. “Nos casos mais severos, pode ocorrer a luxação da articulação temporomandibular, ou seja, o queixo sai do lugar, provocando fortes dores”, explica o Dr. Alexandre Maurity. 
A exemplo de várias outras doenças confundidas entre si por terem sintomas parecidos, a DTM pode estar relacionada com outras doenças como Artrite Reumatóide, Fibromialgia, Espondilite Anquilosante. Para que não haja enganos ou possíveis dúvidas, o Centro de Deformidades da Face faz uma análise minuciosa do quadro do paciente, com exames clínicos e físicos, a fim de chegar ao diagnóstico correto, afirma o Dr. Bruno Chagas.
A forma de tratamento para essas desordens começa sempre pela maneira mais conservadora, com fisioterapia, medicamentos, orientações, compressas, dieta específica e lavagem da articulação. Caso o paciente não evolua satisfatoriamente com o tratamento conservador, opta-se por traçar uma conduta cirúrgica, guiada por profissionais altamente qualificados como o Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro. 
Serviço:
CDF Rio – Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro
Dr. Bruno Chagas
Dr. Alexandre Maurity
Dra. Cristina Jardelino

Nenhum comentário:

Mais visualizadas na última semana