• Inveja? Saiba que a grama do vizinho nem sempre é mais verde!

Psicólogo dá sete dicas de como acabar com a inveja e ser produtivo para atingir seus objetivos

Ver algo que queremos quando não podemos ter é uma experiência nada agradável que todos passam por, pelo menos, uma vez na vida. Quando outra pessoa próxima atinge esse objetivo antes de nós a situação não melhora em nada. No entanto, o psicólogo João Alexandre Borba, afirma que há maneiras eficazes de transformar esse ciúme em um sentimento produtivo, que irá, de fato, levar você aonde quer chegar.
1. Acorde e se responsabilize pelos seus desejos “Para quem se faz de vítima essa é a parte mais irritante, mas é necessária. Nada vai cair do céu”, completa o psicólogo.
2. Seja interessante. Como? “No caminho até os seus desejos, o seu melhor será despertado. Isto por si só será interessante. Não conheci até hoje alguém que tenha planejado todos os seus passos, e a sequência dos eventos tenha sido exatamente iguais à da fase de planejamento. É caminhando que o caminho é construído”, afirma João Alexandre.
3. Descubra o que te interessa e faça “Encontrar tempo no tempo que te pertence, é fundamental. Organização temporal é sinônimo de boa autoestima”, diz.
4. O que é do outro e é do outro. Ache o seu.
5. O dia deve conter ações que te desafiem e te motivem “Faça o que você gosta, te motiva e te acrescenta. Do contrário, você viverá com sono e só vai acordar com as realizações dos outros. Isso é o que mais desperta a inveja”, comenta o coach.
6. Ache o que você faz bem e faça “Veja aquilo que você faz e que os seus colegas e amigos elogiam: nisto provavelmente você seja muito bom. Aprofunde, cultive isto e você se tornará interessante e poderá até ganhar dinheiro com essa prática. Você começará a somar em suas relações e não mais a subtrair. Some, não complete. Não existe ninguém incompleto. Completar é arrogância”, alerta.
7. Por fim, e mais importante: se ame. Como? “Através de ações que te tornem melhor hoje do que você foi ontem, como, por exemplo... Planeje uma ação hoje. Quando estas ações se tornarem um hábito, você transcenderá do ‘fazer’ a diferença, para ‘ser’ a diferença”, finaliza.
Serviço: João Alexandre Borba
Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo

• Fumo também afeta a saúde de amigos e parentes

Dia 29 de agosto é Dia Nacional de Combate ao Fumo no Brasil
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte modificável no mundo. No Brasil, dados da Vigitel apontam que 10,8% dos brasileiros fumam, o que corresponde a mais de 22 milhões de pessoas. Os números são alarmantes e justificam a intensa campanha pelo fim do tabagismo.
O cardiologista do Hospital VITA, Mario Sérgio Julio Cerci, afirma que o hábito de fumar é um dos maiores fatores de risco que levam ao infarto do miocárdio e ao Acidente Vascular Cerebral (AVC), as duas mais freqüentes causas de morte no mundo, além de potencializar problemas pulmonares, como o câncer de pulmão.  
O médico alerta, ainda, para o perigo que o hábito de fumar causa às pessoas próximas ao fumante: “Familiares e amigos também são afetados pelos males do cigarro, uma vez que sofrem o chamado ‘fumo passivo’, absorvendo os componentes tóxicos por meio da respiração”, explica.
Atualmente já existem exames regulares e programas para auxiliar no abandono do tabagismo, uma vez que a dependência é orgânica e psíquica. Alguns remédios também auxiliam neste processo, porém, devem ser receitados por um médico especialista.

Sobre o Hospital VITA
A primeira unidade do Grupo VITA no Paraná foi inaugurada em março de 1996, no Bairro Alto, e a segunda em dezembro de 2004, no Batel. O VITA foi o primeiro hospital brasileiro a conquistar, no início de 2008, a Acreditação Internacional Canadense CCHSA (CanadianCouncilon Health Services Accreditation). A certificação de serviços de saúde avalia a excelência em gestão e, principalmente, a assistência segura ao paciente.
O Hospital VITA possui a certificação de serviços de saúde que avalia a excelência em gestão e, principalmente, a assistência segura ao paciente. Possui também o nível de excelência na certificação nacional da Organização Nacional de Acreditação (ONA) e é um dos hospitais multiplicadores do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente (PBSP). Ele visa disseminar e criar melhorias inovadoras de qualidade e segurança do paciente. Integra também o grupo de hospitais da Associação Nacional de Hospitais Privados – ANAHP.
O VITA oferece atendimento 24 horas e é referência nas áreas de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia bariátrica, medicina de urgência, urologia, terapia intensiva, traumato-ortopedia e pediatria. Além disso, dispõe de um completo serviço de medicina esportiva, prestando atendimento a atletas de diversas modalidades; serviço de oncologia; Centro Médico e Centro de Diagnósticos.
Para garantir um alto nível de qualidade nos serviços prestados aos pacientes, o VITA tem investido em ampliação da infraestrutura, tratamentos com equipes multidisciplinares, modernização dos equipamentos, humanização no atendimento, qualificação dos profissionais e segurança assistencial.

• Treinando para hipertrofia? Adote esse novo método!

Especialista afirma que método japonês faz o músculo crescer tanto quanto a musculação e com menos desgaste

Não é a toa que os brasileiros são considerados os mais vaidosos do mundo. Segundo a Associação Brasileira de Academias, o Brasil só perde para os Estados Unidos em número de academias abertas no país. O uso de suplementos alimentares, para aumento de ingestão proteica e ganho de massa muscular (como o Whey Protein), já chega a 54% da população. Se você frequenta academias, assim como quase todos os usuários, busca definição e aumento muscular. No entanto, após um tempo, os exercícios podem se tornar repetitivos e pouco eficientes, e se não forem administrados novos e diferentes estímulos, o crescimento da musculatura estagna.
A fisioterapeuta desportiva Ana Gil, idealizadora do Espaço de mesmo nome, trabalha em sua clínica, com diversos recursos fisioterapêuticos, entre eles, o Kaatsu Training ou Restrição de Fluxo Sanguíneo - “Trata-se de um método de treinamento de força que utiliza um equipamento chamado Torniquete Neumático, responsável pela oclusão vascular parcial, durante a execução dos movimentos. Dessa forma, o fluxo sanguíneo para os músculos é diminuído, obrigando-os a solicitar mais fibras tipo II, que são as que têm maior potencial hipertrófico”, explica a especialista.
Os exercícios podem ser realizados em braços e pernas e seus benefícios são muitos. Segundo Ana Gil, “é uma excelente ferramenta para a reabilitação e inclusive pode ser indicado para recuperar a massa muscular, comumente diminuída em pós–operatórios e algumas lesões. E aparece como opção para pessoas que têm dificuldades em realizar exercícios com cargas elevadas, como é o caso de idosos. Pois, com este novo método é possível atingir os mesmos ganhos de força e hipertrofia com cargas mais baixas e menor impacto nas articulações”.
O Dr. Jefferson Novaes, professor da UFRJ e coordenador do condicionamento físico no Espaço Ana Gil, reforça “este trabalho também pode ser utilizado no período de descanso ativo de atletas (pós-competição) ou com limitações temporárias, provenientes de alguma lesão, mas que não querem abandonar os treinos e muito menos diminuir sua performance”.
Ainda de acordo com a fisioterapeuta, a técnica só deve ser praticada com o auxílio e monitoramento de um profissional da área e alguns alertas precisam ser levados em consideração - “É importante ressaltar, que o uso errôneo dessa técnica, pode resultar em problemas circulatórios e cardíacos. O ideal é sempre procurar um fisioterapeuta ou um profissional de educação física qualificado para a orientação e execução do treinamento”, conclui a profissional.
Serviço: Espaço Ana Gilclínica é de Fisioterapia, Estética e Pilates e se localiza na Barra da Tijuca.  
Ana Gil
Fisioterapia Ortopédica, Pilates, RPG e Estética. Pós-graduada em Anatomia Humana e Biomecânica – UCB, Mestre em Educação Física - EEFD/UFRJ.
21 2439-8600/98173-9765
Instagran: @espacoanagil
Twiter: @espacoanagil
Av. das Américas, 2.250, sala 306, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ.

• Planejando afinar o rosto como as famosas? Fique atento às dicas!

Cirurgião explica o que é e quais medidas a serem tomadas após a cirurgia do momento, a Bichectomia 

O Brasil é conhecido mundialmente por suas mulheres lindíssimas. O povo brasileiro é considerado um dos mais vaidosos do mundo, além de, atualmente, ocuparmos as primeiras posições nos rankings globais de consumo de cosméticos. Em termos de cirurgia plástica no rosto e no abdômen, como a rinoplastia e a lipoaspiração, o Brasil já desbanca, inclusive, os Estados Unidos. No entanto, um procedimento que vem sendo muito utilizado pelas atrizes hollywoodianas, mas que ainda engatinha no Brasil, é a bichectomia.
Bichectomia é uma intervenção cirúrgica que retira total ou parcialmente as duas bolsas de gordura presentes em cada lado da boca, entre o maxilar e a mandíbula, chamadas de bolas de Bichat. De caráter puramente estético, esse tipo de cirurgia plástica, tem o intuito de afinar a parte de baixo da face e queixo, e também realçar as maçãs do rosto. Celebridades conhecidas por aderirem a esse procedimento são Angelina Jolie, Megan Fox e Kim Kardashian.
O cirurgião buco-maxilo-facial, Dr. Bruno Chagas, do Centro de Deformidades da Face, alerta para os cuidados específicos que essa cirurgia requer: “Assim como todo procedimento cirúrgico, há uma série de precauções, principalmente para o pós-operatório. No entanto, a Bichectomia tem algumas especificidades”, comenta.
1- Utilização de faixa compressiva “Além de conter o edema e prevenir hematomas, faz o tão desejado contorno facial”, explica o cirurgião.
2- Aplicação de gelo. “O gelo deve ser aplicado ao final do procedimento. Neste momento, como haverá grande quantidade de mediadores químicos para uma inflamação e reparo tecidual, o gelo atua como vasoconstritor, promovendo até mesmo a hemostasia”, diz.
3- Utilização de medicação. “Tudo o que for prescrito pelo médico, tem por objetivo diminuir a dor e prevenir infecção. Sempre cumpra o horário dos medicamentos”, alerta Dr. Chagas.
4- Evite esforços com os músculos da face (mímica, fala e mastigação)
5- Repouse em uma posição de 90 graus, ou seja, dois travesseiros nas costas, nunca deite 180 graus.
6- Siga a dieta prescrita pelo seu cirurgião.
7- Faça ao menos 6 sessões de drenagem facial. “Sempre com um profissional especialista em pós- cirúrgico”, ressalta o cirurgião.
Ainda de acordo com o especialista em cirurgias na face, a Bichectomia não é indicada para todo mundo “Se a pessoa já tem o rosto fino, essa cirurgia pode dar uma aparência mais envelhecida, principalmente se a retirada das bolas de Bichat for total. Ela é indicada somente para quem tem o rosto mais cheinho e bochechas protuberantes, e ainda assim, não é muito indicado que sejam retiradas totalmente, para não causar arrependimento”, finaliza o cirurgião.
Serviço: Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro (CDF Rio)
Dr. Alexandre Maurity
Dr. Bruno Chagas
Dra. Cristina Jardelino
Barra da Tijuca - Av das Américas, 1155 - Sl1308
Campo Grande - Rua Olinda Ellis, 93 - Hospita oeste D'or
Bangu - Rua Francisco Real, 752 - Hospital de Clínicas de Bangu
Niterói - Rua Aurelino Leal, 40 - 3º Andar | Rua Coronel Moreira Cesar, 26
Icaraí - Trade Center, Sala 1101

• Conheça mais sobre a ventosaterapia: o tratamento de Michael Phelps

Fisioterapeuta e acupunturista explicam sua finalidade, recomendam e dizem que, nem sempre, fica tão roxo assim

Se você está vidrado acompanhando os Jogos Olímpicos e assistiu o nadador americano, Michael Phelps levar para casa sua 21ª medalha de ouro olímpica, também estranhou as marcas roxas cobrindo suas costas e ombros. Embora causem uma primeira impressão meio estranha, Michael Phelps, assim como todos os outros competidores de ponta que utilizam da técnica, não estão tendo nenhum problema com dores e locomoção. Pelo contrário, o norte-americano conquistou com maestria - e folga - o primeiro lugar na natação dos Jogos Olímpicos 2016.
A técnica utilizada, como comenta a fisioterapeuta, Ana Gil, se chama ventosaterapia, ou cupping therapy.  “A terapia com ventosas, provém da medicina chinesa e pode ser utilizada tanto para diagnosticar, quanto para tratar diversas enfermidades. A prática consiste em utilizar copos de vidro com fogo, ou ventosas, aplicados diretamente sobre a pele, em áreas específicas do corpo ou nos meridianos da medicina tradicional oriental. Pode ser aplicada de forma fixa ou deslizante”, explica.
Segundo a especialista, seu objetivo é trazer o sangue para a periferia da pele e músculos, para induzir a troca gasosa nas células dos tecidos. Assim, libera-se a estagnação e permite um fluxo sanguíneo enérgico, local e sistêmico. Através de uma desintoxicação no fluxo local, elimina dores musculares, pós-exercícios, por diminuir consideravelmente a concentração de ácido lático após o esforço muscular excessivo.
“É uma técnica preventiva muito utilizada nos esportes. Ajuda a melhorar o desempenho do atleta, porque nutri as fibras musculares mais solicitadas”, diz Ana Gil “Métodos mais atuais, utilizam copos de plástico e uma pistola apropriada para a sucção", diz o Dr. Israel Amud, acupunturista do Espaço Ana Gil e adepto a técnica. "A pistola tem a vantagem de deixar menos marcas na pele, ou mais suaves, mantendo os mesmos benefícios terapêuticos", explica.
Segundo a fundadora do Espaço Ana Gil, esse método tem eficácia comprovada e não somente no combate a dores de atletas. “O método é indicado para desintoxicação em geral. Além de reduzir as dores nas costas e promover relaxamento muscular, ajuda a combater reumatismos, enxaquecas, diminui aparência de cicatrizes e até da celulite. Além disso, também alivia ansiedade e stress”, afirma a fisioterapeuta.
No entanto, de acordo com Ana Gil, a terapia com ventosas também tem seus riscos e certos grupos não são aconselhados a fazê-la. Pacientes com suspeitas de hemorragias de qualquer natureza, gestantes acima de sete meses, pacientes com dermatites - psoríase, micoses, cortes e ferimentos recentes no local da aplicação - insuficiência cardíaca, quadros viróticos e osteoporose severa, devem procurar outras fontes de tratamento.
Serviço: Espaço Ana Gil
Ana Gil
Fisioterapia, Estética e Pilates
21 2439-8600
Av. das Américas, 2.250, sala 306, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ.

• Como ter certeza que os idosos da família estão bem nutridos?

Especialista em nutrição funcional dá dicas de como preparar refeições e alerta sobre os problemas da má alimentação nos velhinhos

A qualidade de vida dos idosos está relacionada à uma boa alimentação, o meio em que vivem, estilo de vida - fumo e prática de atividade física - stress, entre outras demandas diárias básicas, que os permitem cumprir suas funções de forma independente e adequada, para poderem se sentir bem. Caracterizado por uma série de modificações fisiológicas e psicológicas, o envelhecimento de cada um, tem diferentes velocidades e intensidades, que estão relacionadas, muitas vezes, às alterações nutricionais. A boa alimentação deve uma preocupação constante para os idosos, pois a deficiência nutricional, pode acarretar em diversos problemas no organismo dos velhinhos.
Especialista em Nutrição Funcional, a Dra. Juliana Uyeno, explica como uma má nutrição na terceira idade pode originar ou piorar doenças e sintomas previamente adquiridos “Uma boa alimentação é necessária em qualquer faixa etária, mas na terceira idade, os idosos devem ter muito mais cuidado na restrição de carboidratos - como arroz, pães, massas e refinados em geral; além de consumir muitas frutas, saladas e proteínas”, diz.
“As proteínas são encontradas, principalmente, nas carnes, peixes e ovos. Em casos de dificuldade para mastigar, o whey é uma das alternativas a ser avaliada. Os legumes devem estar bem cozidos e macios, para também facilitar a mastigação. Frutas e vegetais, podem ser ingeridos sob a forma de sucos e vitaminas, além de purês”, aconselha a Dra. Juliana.
Segundo a nutricionista, o controle do peso do idoso deve ser feito regularmente, e a obesidade nessa faixa etária, é ainda muito mais séria; da mesma maneira, que a subnutrição, acarreta em uma série de disfunções “Principalmente com o uso de muitas medicações, os idosos costumam sofrer com efeitos colaterais. A perda de apetite, e problemas gástricos - como azia e a gastrite - são alguns deles”, explica Juliana.
Ainda de acordo com a doutora, um dos maiores motivos que levam o idoso à uma má nutrição, é a falta de cuidados da própria família “Não ter alguém que prepare ou ajude no preparo das refeições, leva os mais velhos a preferirem alimentos fácil preparo e consumo, como os congelados. Na maioria, com muita adição de açúcar e sódio, são também altamente calóricos, sem contar sua pobreza em vitaminas e proteínas”, alerta. Familiares e cuidadores devem estar sempre atentos aos hábitos alimentares dos idosos, verificando quantidades e variedades ingeridas a cada refeição, bem como sua freqüência.
Seguem algumas dicas da Dra. Juliana:
1. Saúde dos ossos: Opte pelas fontes naturais de cálcio, como gergelim, linhaça, brócolis e folhas verde-escuras; magnésio, como grãos de bico, castanha do pará e banana. Evite bebidas alcóolicas, chá preto, café e refrigerantes, por serem alimentos que bloqueiam a absorção de cálcio. Além disso, pegar sol diariamente ajuda o corpo a produzir vitamina D, que facilita o aproveitamento do cálcio dos alimentos;
2. Funcionamento do intestino: Para acelerar o processo digestivo e prevenir a “prisão de ventre”, flatulência (gases), e também, câncer intestinal, inclua na dieta, as fibras dos cereais integrais, de trigo, farelo de aveia, e folhas verdes. Além de muita água, que não só facilita o trabalho do intestino, como melhora, também, o funcionamento dos rins;
3. Coração saudável: Linhaça, castanha e amêndoas, previnem aterosclerose e outras doenças cardiovasculares. O farelo de aveia, quando adicionado às refeições, ajuda a diminuir o colesterol, significativamente;
Um outro apelo importantíssimo a ser feito, quando o assunto é a terceira idade, são os cuidados com os idosos, que sofrem de alguma doença envolvendo demência “Na doença de Alzheimer e nas outras patologias parecidas - de origem mental - em fases mais avançadas, os idosos podem apresentar perda de peso, mesmo com a dieta correta e adequada. Nesse caso, é necessária avaliação médica para investigação das causas. Muitas vezes, esses sintomas vão muito além de apenas uma alimentação inadequada, e podem ser consequência de alguma doença grave”, finaliza a nutricionista.
Juliana Eiko Uyeno 
Nutricionista CRN3 36632
Clínica Spac
Av. Vereador José Diniz, 3.707 - Cj. 62 - Campo Belo - São Paulo - SP
Clínica Physioterapia
Av. Angélica, 2.355 - Cj. 111- Higienópolis - São Paulo - SP
www.julianauyeno.com.br 
Instagram: @nutrijulianauyeno
FanPage Facebook: Nutricionista Funcional Juliana Uyeno

• Atividade física - Por que deve fazer parte de nossa rotina?

Daniele Tokars Zaninelli*
Que os exercícios físicos melhoram o humor e a autoestima ninguém duvida, pois antes mesmo de promover mudanças aparentes no corpo, costumam trazer uma sensação imediata de bem-estar. Além disso, promovem o aumento da força muscular, a melhora do desempenho físico e do funcionamento do sistema cardiovascular, o que nos deixa mais aptos a enfrentar as tarefas do dia a dia. A prática regular de atividades físicas (AF) pode ainda evitar uma série de doenças, nos permitindo viver mais e melhor.
Apesar disso, em 2012, às vésperas das Olimpíadas de Londres, uma série de estudos publicados no periódico The Lancet mostrou que a inatividade física já era considerada uma pandemia global. Foi lançado um alerta mostrando que o sedentarismo deveria receber a mesma atenção que o tabagismo e a obesidade como fator de risco modificável para o desenvolvimento de doenças crônicas. Mantendo a tradição, uma nova série de estudos foi publicada logo antes das Olimpíadas do Brasil, o que veio a confirmar os dados iniciais, trazendo ainda novidades que serão abordadas nesse artigo.
A crescente urbanização, o acesso à motorização e o aumento do trabalho sedentário parecem ser os principais responsáveis pelo estilo de vida inativo visto ao redor do mundo.  E esse não é um problema exclusivo dos adultos. Estudos epidemiológicos mostram que a maior parte das crianças e adolescentes não realiza o tempo mínimo necessário de atividades físicas ao longo do dia para serem considerados ativos. Para usufruir dos efeitos benéficos da AF em termos de saúde pública, uma série de estratégias vem sendo estudadas e aplicadas aos poucos. Enquanto isso, devemos tentar vencer nossas próprias barreiras e incluir atividades físicas em nossas vidas, se possível envolvendo toda a família. 
Já está bem estabelecida a relação entre a falta de atividades físicas e o aumento no risco de doenças crônicas como o diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, derrame, alguns tipos de câncer e até mesmo de morte prematura.
Alguns hábitos merecem atenção especial. Um estudo recente sugeriu que assistir TV por tempo prolongado (>5 horas/dia) estaria associado ao aumento no risco de desenvolver diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, e de morte por todas as causas. Além disso, pessoas que passam mais do que 8 horas por dia sentadas, e são pouco ativas, apresentam um aumento no risco de mortalidade semelhante ao que ocorre na presença de outros fatores como o tabagismo ou a obesidade.
Por outro lado, a prática regular de AF reduz o risco de desenvolver e/ou melhora o controle de diversas doenças, como a obesidade, o diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares. E como se essas vantagens não bastassem, estudos recentes têm demonstrado a importância da prática regular de exercícios no desenvolvimento e na manutenção das funções cerebrais normais. Em adultos a prática regular de exercícios reduz o risco de demência, e em crianças melhora a capacidade cognitiva e o rendimento escolar.
Esses dados não deixam dúvidas sobre a importância de se combater o sedentarismo. Para isso é essencial mudar hábitos, o que nem sempre é fácil e exige motivação.   Você já pensou sobre o que te levaria a incluir mais movimento em seu dia a dia? Melhora no humor, na disposição, perda de peso, um sono melhor ou uma vida sexual mais satisfatória seriam suficientes? Todos esses são benefícios oferecidos pela prática rotineira de exercícios físicos. Vale a pena se esforçar para vencer as dificuldades impostas pela rotina, não é mesmo?
- Curiosidade: Você sabe qual a diferença entre exercício físico e atividade física?
Considera-se atividade física qualquer movimento corporal produzido por contração da musculatura esquelética. Já o exercício físico consiste numa atividade física planejada, com uma sequência de movimentos programados, realizada com o objetivo de melhorar o desempenho físico.
- Veja abaixo se você tem um estilo de vida sedentário:
De forma geral, são considerados sedentários adultos que não atingem 150 minutos de AF de intensidade moderada, ou 75 minutos de AF vigorosa por semana (ou uma combinação deles). 
Entre os adolescentes, são considerados inativos aqueles que praticam menos de 60 minutos de AF moderadas a vigorosas por dia.
São exemplos de AF de intensidade moderada: caminhada rápida (cerca de 5Km/h), hidroginástica, ciclismo (até 16Km/h), jogar tênis em dupla, dança de salão e jardinagem.
São consideradas vigorosas atividades como: corrida, natação e ciclismo (acima de 16Km/h).
Não é preciso ser um atleta para se obter as vantagens da AF à saúde. Em geral recomenda-se a prática de 150 minutos de atividade moderada por semana, ou seja, são suficientes 30 minutos de dedicação ao dia, que podem ainda ser divididos em 3 etapas de 10 minutos.
O importante é que as atividades sejam introduzidas progressivamente, sem esquecer de verificar questões de saúde que podem exigir orientações especiais, sendo aconselhável conversar com seu médico antes de iniciar a prática de exercícios físicos.
E lembre-se sempre: quando o objetivo é melhorar a saúde, qualquer atividade é melhor que nenhuma atividade. Não espere mais. Mude seus hábitos e aproveite os benefícios!

*Dra. Daniele Tokars Zaninelli, endocrinologista do Hospital VITA

• Atenção para as espinhas! Espreme-las pode causar celulite facial

Cirurgião bucomaxilar do Centro de Deformidades da Face fala sobre o problema e como preveni-lo 

Ao contrário do que sugere, a celulite facial não tem nada em comum com a celulite comum, que é geralmente encontrada na região da barriga e membros inferiores. Trata-se de um tipo de infecção facial, que pode variar desde simples e localizada, a infecções graves nos espaços da face que podem causar risco de vida. Embora suas causas variem, porém as infecções de origem dentária são as mais comuns. Picadas de inseto e acne também podem levar ao desenvolvimento do problema. Pessoas diabéticas descompensadas, imunossuprimidos e os alcoólatras fazem parte dos grupos de risco.
O cirurgião bucomaxilar, Dr. Bruno Chagas, do Centro de Deformidades da Face, explica o caso mais comum “A celulite facial por infecção dentária, é uma patologia decorrente dos tecidos dentais e periodontais, e que requer tratamento imediato. É considerada difícil de tratar e, por isso, deve ser muito bem compreendida pelos profissionais responsáveis, tendo em vista seu alto índice, suas complicações e os sérios riscos à saúde do paciente”, diz.
Para prevenção da celulite facial, há algumas medidas preventivas, que podem ser tomadas “Dentes cariados com infecção endodôntica devem ser removidos ou tratados, para evitar a infecção dos tecidos da face. Em pacientes imunodeprimidos e/ou diabéticos deve sempre ser utilizada antibioticoterapia profilática quando forem realizados procedimentos cirúrgicos bucais. Pessoas que notarem alguma 'espinha' não devem espremer ou coçar. Passar por avaliação odontológica periódica também é um método de prevenção”, comenta o cirurgião.
Segundo o especialista, os quadros de infecção podem surgir tanto como um aumento de volume local ou generalizado, assintomáticas ou dolorosas, e pouco agressivas; ou ainda, de rápida progressão, sendo tratadas de variadas formas, com o objetivo final de eliminar o agente causador e drenar o acúmulo de material (pus) no interior dos tecidos.
“A evolução de cada caso deve ser bem conduzida pelo profissional. Os tratamentos prévios realizados e o histórico familiar devem ser analisados, para que seja elaborado um plano de tratamento adequado”, diz.
Para aqueles já portadores da doença, o médico também dá um aviso “Se a pessoa portadora de celulite facial apresenta trismo (não abre a boca), dispneia (dificuldade de respirar), febre e dificuldade de falar, deve ser levada o quanto antes para uma emergência hospitalar para que sejam submetidos a exames laboratoriais como hemograma e tomografia computadorizada”, alerta.
É importante sinalizar, segundo o especialista, que a celulite facial nos espaços superiores da face, como a peri orbitária, pode evoluir para uma trombose de seio cavernoso e levar à cegueira. Assim como, a doença acometida nos espaços inferiores, como a região submandibular, pode gerar uma mediastinite, uma infecção grave próxima ao coração, e dependendo do caso, levar à morte.
De acordo com o cirurgião, o tratamento para a celulite facial é realizado com antibióticos, terapia ministrada de forma enérgica, associado à fisioterapia com calor - intra ou extrabucal - eliminação do foco infeccioso original, incisões e drenagem intra, ou eventualmente, extraoral. Mas é primordial que seja procurado tratamento o quanto antes “Mesmo quando devidamente tratada e curada, a celulite pode deixar cicatriz extraoral - proveniente de fístula”, conclui Dr. Bruno.
Serviço: Centro de Deformidades da Face do Rio de Janeiro (CDF Rio)
Dr. Alexandre Maurity
Dr. Bruno Chagas
Dra. Cristina Jardelino
Barra da Tijuca - Av das Américas, 1155 - Sl1308
Campo Grande - Rua Olinda Ellis, 93 - Hospita oeste D'or
Bangu - Rua Francisco Real, 752 - Hospital de Clínicas de Bangu
Niterói - Rua Aurelino Leal, 40 - 3º Andar | Rua Coronel Moreira Cesar, 26
Icaraí - Trade Center, Sala 1101

• DEPRESSÃO É DOENÇA, SIM!

Por Prof. Dr. Mario Louzã, médico psiquiatra, doutor em Medicina pela Universidade de Würzburg, Alemanha. Membro Filiado do Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (CRMSP 34330)

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), até 2020, a depressão será a principal razão, no mundo todo, que deverá incapacitar as pessoas acometidas pela doença. Hoje em dia, mais de 120 milhões de pessoas sofrem com a depressão no mundo. Só no Brasil, são cerca de 17 milhões, sendo que aproximadamente 850 mil pessoas morrem, por ano, por causa da doença.

A depressão se caracteriza por vários sintomas: tristeza profunda e contínua, apatia, desânimo, perda do interesse pelas atividades que gostava de fazer, pensamento negativo (ideias de fracasso, incapacidade, culpa, pensamentos de morte), alterações do sono, falta de libido, e falta de apetite.

A depressão costuma ser de caráter recorrente, de modo que a pessoa pode ter vários episódios ao longo da vida. Se não for tratada corretamente, pode se tornar uma depressão crônica, fazendo com que a pessoa não tenha vontade nem de sair da cama, podendo até cometer suicídio.

A depressão deve ser diferenciada da 'tristeza normal', decorrente de ocasiões tristes ou difíceis da vida. Esta, em geral, tem um perfil menos intenso, e tende a desaparecer com o tempo ou quando o problema é solucionado.

Infelizmente, as pessoas ainda associam a depressão à fraqueza de caráter, e acham que podem resolvê-la apenas com 'força de vontade'. A verdade é que a depressão tem uma base neurobiológica, decorrente de um desequilíbrio do funcionamento de alguns neurotransmissores no cérebro.

Daí a importância de procurar ajuda médica quando os sintomas descritos estiverem se manifestando. O tratamento da depressão envolve o uso de antidepressivos, associados à psicoterapia. Vale frisar que a depressão é, sim, uma doença grave, que pode se tornar crônica e que deve ser tratada. Portanto, antes de fazer um julgamento sem conhecimento de causa, busque informação e esclareça as dúvidas com um profissional médico. Só assim, a depressão deixará de ser tão estigmatizada.

• Intolerância a glúten e a lactose. O que fazer?

As dietas sem glúten e sem lactose entraram em pauta, e, junto com elas, a intolerância alimentar. Como o organismo não produz as enzimas necessárias para digestão de alguns ingredientes, a pessoa intolerante apresenta dificuldade ao ingerir alimentos com essas substâncias.
Os sintomas mais comuns de intolerância à lactose incluem dor abdominal, flatulência, sensação de inchaço no abdômen e diarreia. Essa intolerância tem diversos graus. A hipolactasia, por exemplo, é a diminuição da produção intestinal da enzima lactase, tolerando apenas quantidades pequenas de alimento com lactose. A professora de Nutrição da Universidade Positivo, Rúbia Daniela Thieme, explica que cuidar da alimentação quando se tem intolerância já não é tão difícil como antes. “Hoje, há muitos produtos isentos ou reduzidos em lactose disponíveis no mercado”, diz.
A intolerância ao glúten, outra restrição alimentar comum, não significa necessariamente que a pessoa possui a doença celíaca (alergia a glúten). Os sintomas da intolerância são semelhantes aos apresentados por celíacos: distensão abdominal e dores de cabeça, entre outros. “A dieta do indivíduo com intolerância deve ser isenta de alimentos com glúten, que está presente no trigo, centeio, cevada e aveia”, esclarece a professora.  O acompanhamento de um profissional nutricionista auxiliará o paciente a adequar sua alimentação, evitando deficiências nutricionais que possam comprometer a saúde e facilitando o processo de adaptação às mudanças necessárias.
 Como identificar?
Para a lactose, existe um exame específico de intolerância. O paciente recebe 50 gramas de lactose para tomar e a sua glicemia é mensurada após 15, 30, 60 e 90 minutos. Um aumento menor do que 20 mg/dL na glicemia sugere má digestão de lactose. Rúbia esclarece que o exame mais acurado para diagnóstico dessa intolerância é a medida de hidrogênio expirado após ingestão de 50 gramas de lactose. Já para intolerância ao glúten, não há exame específico. “O diagnóstico é baseado na história clínica do indivíduo, após exclusão de alergia ao glúten”, explica.

Sobre a Universidade Positivo
A Universidade Positivo (UP) concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo (UnicenP). Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 54 cursos de Graduação (30 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 24 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. Em Curitiba, a UP conta com três campus: Ecoville, que ocupa uma área de 424,8 mil metros quadrados, Praça Osório, no centro da cidade, e Mercês - Catarina Labouré, este último dedicado ao curso de Enfermagem. Lançou, em 2013, seu programa de Educação à Distância, com dezenas de polos em todo o país. Segundo as avaliações do Ministério da Educação, é considerada uma das melhores universidades privadas do Brasil.

• Só um chiclete não resolve: Mau hálito pode indicar outras doenças

Especialista em tratamentos dentários explica os diversos fatores e quais profissionais procurar

Cerca de 75% dos casos de halitose (mau hálito) têm sua origem em um problema bucal. Outras causas do mau hálito são os distúrbios gástricos, infecções nos seios maxilares e paranasais e doença gengival grave, e pode ser causado por:
- Fatores externos – alimentos, como cebola e alho, e bebidas, como café e álcool, e o fumo;
- Má higiene bucal – quando a placa bacteriana e resíduos alimentares não são completamente removidos;
- Enfermidades bucais – gengivite e doença periodontal;
- Próteses totais – formação da placa e acúmulo de resíduos nas próteses, que precisam ser limpas diariamente;
- Amígdalas – as fendas (criptas) mais largas das amígdalas podem permitir que os resíduos se acumulem na área;
- Infecções do aparelho respiratório – garganta, seios paranasais e pulmões;
- Boca seca (xerostomia) – que pode ser causada por problemas nas glândulas salivares, medicamentos, respiração pela boca, radioterapia e quimioterapia;
- Doenças sistêmicas – diabetes, doenças renais/hepáticas, pulmonares, dos seios maxilares/paranasais e distúrbios gastrintestinais;
Segundo a especialista em odontologia, Dra. Cristina Gottlieb, o sucesso do tratamento depende da determinação de sua causa. “Assim que o dentista determina a causa, o tratamento pode começar. Portanto, caso note um mau hálito constante, procure o seu odonto.”, diz.
Além disso, pesquisas recentes sugerem que há uma relação entre doenças bucais e doenças sistêmicas (diabetes, doenças cardiovasculares, derrame cerebral, infecções respiratórias, mal de Alzheimer) e outras enfermidades. 
“Quando o tecido gengival se inflama dando origem à gengivite, mediadores inflamatórios chamados citocinas, presentes no tecido gengival, podem passar para a saliva e serem aspirados para dentro dos pulmões. As bactérias responsáveis pela periodontite também podem penetrar no sistema circulatório e deslocar-se até outras partes do corpo, que causam infecções secundárias ou a inflamação de outros tecidos ou sistemas do organismo”, explica a especialista.
Segundo a Dra. Cristina, se achar que a causa de seu mau hálito é a dieta alimentar, consulte um nutricionista. Ele poderá ajudá-lo a modificar sua dieta. Se o problema for má higiene bucal e você tiver gengivite, (inflamação da gengiva) ou periodontite (perda do osso que sustenta os dentes), consulte seu dentista e peça instruções sobre como melhorar a higiene bucal. Caso o problema seja infecção das amígdalas ou uma infecção respiratória, siga as recomendações de seu clínico geral ou de um especialista em ouvido, nariz e garganta (otorrinolaringologista) ou doenças do pulmão e trato respiratório (pneumologista).
A maioria das pessoas tem a sensação de boca seca devido a medicamentos, disfunção das glândulas salivares ou ao fato de estarem passando por tratamento de câncer com rádio ou quimioterapia. Consulte seu médico-cirurgião maxilofacial ou oncologista, e siga as orientações que lhe derem sobre os produtos que podem aliviar os sintomas da boca seca. Quem tem diabetes, problemas renais, hepáticos ou distúrbios gastrintestinais, devem consultar um clínico geral, um urologista ou gastroenterologista para saber como reduzir o mau hálito. 
Entre em contato com seu dentista e peça informações sobre a especialidade médica indicada para resolver seu problema de mau hálito.
Serviço: The Dental SPA
Drª Cristina Gottlieb
(21) 2132-7277/ 2025-2009 / 3827-7277
Shopping Città América (Av. das Américas, 700 lj 113-C e D, piso térreo - Barra da Tijuca – Rio de Janeiro).

• Sofre com artrose? Uma boa dieta diminui consideravelmente as dores

Especialista em nutrição funcional explica como os hábitos alimentares fazem toda a diferença nas doenças reumatológicas

Artrose, muito comum entre homens e mulheres acima dos 60 anos, significa inflamação das articulações. Cobertas com um material borrachoso e lubrificado chamado cartilagem, onde dois ossos se encontram e, com quase nenhum atrito, deslizam um sobre o outro, a cartilagem é considerada uma espécie de amortecedor, através do líquido sinovial. Quando ocorre um desgaste das cartilagens - geralmente das mãos, joelhos e quadris - acaba resultando um aumento da fricção entre os ossos, e leva à inflamação do local, que é seguida também por dor e incapacidade funcional.
Em estações frias como o Outono e o Inverno, a maioria dos pacientes reclamam de uma maior dor articular. No entanto, além dos tratamentos tradicionais, com o uso de medicamentos e intervenção cirúrgica, uma boa dieta pode ajudar a reduzir em até 70% a intensidade das dores nas articulações.
Segundo a nutricionista, especializada em nutrição funcional, Dra. Juliana Uyeno, pacientes com sobrepeso tendem a dobrar as possibilidades de risco de desenvolvimento da doença “Principalmente nos joelhos, a artrose, está diretamente ligada ao excesso de peso e obesidade, isso porque, esse excedente causa ainda mais pressão sobre as articulações, que podem tanto acarretar o problema, quanto piorá-lo em caso de já existir”, afirma.
Cláudia Amorim, de 47 anos, sofria com as crises de artrose, quando foi encaminhada a Dra. Juliana por um reumatologista. Mesmo medicada, ainda assim as dores não desapareciam "Ajustamos a alimentação, sem ajuda de nenhuma suplementação, a Cláudia perdeu peso e conseguimos erradicar as dores", conta a nutricionista. “Continuo mantendo o peso. Não emagreci, mas não engordei. É um caso de sucesso mesmo. Quando escapo um pouco da dieta, com glúten e lactose, as dores pioram muito. Mas quando volto novamente, após 15 dias, fica tudo normal e as dores desaparecem”, comenta a paciente, Cláudia.
A doença, que atualmente atinge mais de 15 milhões de pessoas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, pode ter seus sintomas diminuídos com a adoção de bons hábitos alimentares, exercícios físicos e perda de gordura corporal “Uma alimentação a base de frutas, verduras, carnes mais magras, grãos integrais, castanhas e outras fontes de gorduras saudáveis mantém o peso ideal. A ingestão de antioxidantes e antiinflamatórios, como as vitaminas C, D, E, Zinco, Selênio, ômega-3 e beta-caroteno, também se mostraram muito eficazes no auxílio do retardo da progressão da doença e controle da dor”, aconselha a nutricionista. Ainda de acordo com a especialista, o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros também podem agravar os casos de artrose.
Juliana Eiko Uyeno 
Nutricionista CRN3 36632
Clínica Spac
Av. Vereador José Diniz, 3.707 - Cj. 62 - Campo Belo - São Paulo - SP
Clínica Physioterapia
Av. Angélica, 2.355 - Cj. 111- Higienópolis - São Paulo - SP
www.julianauyeno.com.br 
Instagram: @nutrijulianauyeno
FanPage Facebook: Nutricionista Funcional Juliana Uyeno

• Elogios: Como eles ajudam e prejudicam a vida de uma pessoa

Psicólogo explica a tênue diferença entre bons e maus elogios 

Em uma sociedade em que está constantemente enaltecendo os defeitos das pessoas e as diversas formas de mudar quem realmente são para uma versão mais magra, mais rica, mais bem sucedida e mais desejada, elogios e palavras de incentivos sinceros são muito importantes no decorrer do dia-a-dia, para manter as pessoas motivadas e confiantes em suas formas de agir e se expressar.
Principalmente na formação da personalidade de uma criança e de um adolescente, que nos dias de hoje estão tão próximos dessa falsa afirmação da mídia de que a perfeição é alcançável. “O reforço positivo significa a validação de determinada atitude da criança e do adolescente, mostrando confiança em sua capacidade. Com isto, estimula-se a produtividade e o sentimento de alegria, o que contribui também para a formação de uma personalidade mais confiante.” Afirma o psicólogo e coach, João Alexandre Borba.
No ambiente profissional, onde existe muita competitividade e uma maior necessidade de reconhecimento, ter um líder que demonstre constantemente confiança na equipe, pode ser capaz de transformar o rendimento e aumentar significativamente a produção dentro da empresa. “Quando o chefe acredita e elogia a equipe, esta passa a render muito mais. Há casos em que a melhora chega a três vezes mais do rendimento normal. Todos precisamos de reconhecimento e, quando esta é uma prática comum, as pessoas tendem a retribuir e a se reconhecer naquela equipe.” Explica o psicólogo. Mas avisa: Exagero nos elogios podem prejudicar, ao invés de ajudar. “Quando você exagera nos elogios, você passa para o outro a ideia de que aquele elogio foge à realidade e, com isso, pode prejudicar o elogiado por fazê-lo acreditar em algo que não é real. Você motiva o outro a ir por um caminho no qual você mesmo não acredita, construindo assim uma base falsa de relacionamento. Neste caso, a intimidade não se faz presente.” Diz.
Por outro lado, a também falta de elogios e motivações pode afetar seriamente o desenvolvimento e a interação social com outros indivíduos. A medida certa é elogiar somente quando for notada uma mudança positiva no comportamento, atitude e pensamento de uma determinada pessoa.
Os elogios ajudam a criar uma imagem pessoal e trabalhar a autoestima de um indivíduo, que por sua vez, é o que impede de deixar que os tais elogios subam a cabeça. “A ideia não é se transformar em um personagem nem perder de vista quem a pessoa é. O elogio deve ser digerido e deve ser capaz de gerar uma transformação interna. Quando a pessoa está coerente com quem ela é, ela passa a receber os elogios e sentir que estes pertencem, de fato, a ela. A autoestima nos ajuda a ter mais noção de quem somos.” Conclui João Alexandre Borba.
Serviço: João Alexandre Borba
Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo

• Proteja o coração escovando os dentes

Especialista em odontologia explica a relação entre a saúde bucal e do coração 

Para se ter um sorriso saudável e um hálito bom e agradável, é preciso começar por bons hábitos de alimentação – fibras, carnes magras, frutas e bastante água - além de escovar os dentes, usar fio dental diariamente, pelo menos três vezes ao dia, usando cremes dentais e enxaguadores bucais como coadjuvantes na manutenção da limpeza.
Quando isto não ocorre, há acumulo de resíduos alimentares e bactérias, que produzem toxinas para as gengivas e dentes. O resultado desta negligencia, é a doença gengival - também conhecida como gengivite e periodontite - e as caries que atacam o nervo dental, causando profunda dor e até perda dos dentes. De acordo com a Associação Americana de Cardiologia e da ADA (American Dental Association), quanto mais avançada a doença gengival e a periodontite, maior o risco de problemas cardíacos e infarto agudo do miocárdio.
Segundo a especialista em odontologia, Dra. Cristina Gottlieb, “Acontece que o resultado do ataque das bactérias da placa bacteriana bucal ao organismo gera a proteína C reativa, presente em todos os quadros cardíacos de infarto agudo do miocárdio”, explica.
A dentista ainda diz que, até 30% da população pode ser geneticamente suscetível às doenças da gengiva, o que significa que se alguém na sua família tem a doença periodontal, pode significar uma maior propensão para você.
Fique atento aos sintomas:
- Sangramento durante a escovação e uso do fio dental;
- Gengiva inchada, vermelha e sensível;
- Aftas constantes;
- Retração das gengivas, que passa a impressão de dentes mais compridos;
- Dentes com mobilidade ou espaços entre eles;
- Mau hálito persistente;
- Pus e secreções entre os dentes e as gengivas;
- Dentes ligeiramente amolecidos;
- Abscessos dentais.
“A consulta com seu dentista deve ser regular, mais ou menos a cada quatro meses, para que seja feito uma limpeza completa profissional. Além disso, cuide de sua alimentação, reduza os açúcares e gorduras saturadas”, aconselha a Dra. Cristina, dentista e diretora do The Dental SPA, no Rio de Janeiro.
Ninguém resiste a um belo sorriso! Ele alegra o ambiente, as pessoas ao seu redor, a você mesmo!O seu sorriso e, consequentementeo seu corpo, agradecem!
Serviço: The Dental SPA
Drª Cristina Gottlieb
(21) 2132-7277/ 2025-2009 / 3827-7277
Shopping Città América (Av. das Américas, 700 lj 113-C e D, piso térreo - Barra da Tijuca – Rio de Janeiro).

Mais visualizadas na última semana