Faça do dia do homem, todos os dias

Especialista destaca características masculinas e dá dicas 

Os homens não precisam aguardar por uma ocasião especial para serem evidenciados. Eles podem se revelar nas suas atitudes, na forma como se entregam por princípios valiosos e no modo como cuidam das pessoas que amam. O dia do homem pode ser todos os dias e a qualquer momento. Homem também é frágil, ele tem seus conflitos internos e também se sente perdido em seus pensamentos e atitudes. 
Segundo a psicóloga Carla Ribeiro, com abordagem em sexualidade humana, ”o homem é pré-determinado desde que nasce.  Nas cores que veste ao nascer, no comportamento que precisa cumprir, para ser visto como um verdadeiro homem. É comum que seja ressaltado o comportamento de agressividade, atos de coragem, ter iniciativa, ser protetor, liderança nata, sucesso profissional”, revela.
Como o homem pode demonstrar seus sentimentos, ser amável, se há tantas crenças que envolvem o papel de alguém autêntico? Ser feliz, principalmente, com sua mulher, geralmente para ele a mais desejada, a mais admirada e a mais amada. “Ter uma mulher ao seu lado, é tudo que o homem deseja. 

O olhar de admiração de sua mulher, é fundamental para a vida de um homem. Ao contrário que a mulher pensa, o homem quer ser desejado. Não quer estar no domínio, o tempo todo. Mas o homem quer conquistar. O homem quer ser o mais interessante e importante para sua mulher. Hoje, o homem, quer uma companheira ao seu lado. A mulher que é independente, ele está aprendendo a viver, sem competições, mas não quer ser deixado de lado”, explica Carla.
Carla ainda revela que “o homem quer aprender a mostrar seus sentimentos, quer ter mais participação na família, quer ser envolvido pela sua mulher em fantasias e romances, quer mais momentos a dois.  Aproveite para resgatar o homem em novos momentos de prazer. Não fale de problemas, mostre sua admiração e valorize no que ele faz de melhor. Ressalte a melhor qualidade dele, e claro, não esqueça do melhor presente... você, mulher!”, conclui. 
Serviço: Carla Ribeiro
Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

Você sofre de enxaqueca? O seu problema pode estar na boca

Ortodontista comenta a pesquisa e explica como as bactérias orais podem causar enxaqueca 

A enxaqueca é uma cefaleia (dor de cabeça), de origem neurológica e é considerada uma doença crônica que afeta 15% da população brasileira. Os sintomas mais comuns da enxaqueca são dor latejante em um ou nos dois lados da cabeça, incômodo com luz e barulho e enjoo. Além de uma de suas causas ser genética, outros fatores desencadeadores das enxaquecas são noite mal dormida, jejum, stress e ansiedade, ciclo hormonal (como a TPM), excesso de cafeína, exercícios físicos, consumo de alguns alimentos e uso exagerado de analgésicos. No entanto, uma pesquisa realizada recentemente pela Universidade da Califórnia, constatou que bactérias encontradas na boca também tem relação direta com a enxaqueca.
No estudo, foram analisadas 172 amostras orais e 1.996 amostras fecais. Foi concluído, que indivíduos que sofrem de enxaqueca possuem diferentes quantidades de espécies bacterianas, comparado com os que não sofrem da patologia. Por ser uma doença neurológica, outra amostra da pesquisa constatou também que genes codificadores de nitratos, nitritos e óxido nítrico são encontrados em uma abundância significativa em portadores de enxaqueca.
A Dra. Cristina Gottlieb, ortodontista e proprietária da clínica The Dental SPA, comenta e explica a pesquisa americana: “Os nitratos são substâncias no organismo que são comuns na causa de enxaqueca. O que acontece, é que as bactérias orais, quando entram em contato com os nitratos dos alimentos, os reduzem a nitritos, que, quando caem na corrente sanguínea, viram óxido nítrico, que por sua vez, também desencadeia crises de enxaqueca”, explica a doutora.
Segundo a ortodontista, pessoas que sofrem desse tipo de cefaleia, mesmo com boa saúde bucal, ainda podem vir a ter crises de enxaqueca, mas manter a boca livre de bactérias pode diminuir as chances consideravelmente. “Quando o indivíduo tem uma saúde bucal pobre, o problema duplica, pois são as bactérias orais que irão transformar o nitrato dos alimentos em óxido nítrico e aumentar as chances de uma crise. Mesmo com idas regulares ao dentista e seguindo as recomendações, se esta pessoa não cuidar da dieta e continuar consumindo alimentos que contenham nitrato, o problema persistirá. Em menor escala, mas persistirá”, afirma.
De acordo com a Dra. Cristina, alimentos como linguiça, salsicha, presunto, salame e bacon, além de alguns queijos e vegetais, contem uma alta concentração de nitrato. “Utilizar enxaguantes bucais e ter uma boa escovação, são ótimas formas de diminuir as bactérias da boca. Porém, outras bactérias podem ser originadas em placas, gengivites, cáries e outros problemas bucais. Então, consultar com um dentista regularmente também é muito importante”, conclui a especialista.
Serviço: The Dental SPA
Drª Cristina Gottlieb
(21) 2132-7277/ 2025-2009 / 3827-7277
Shopping Città América (Av. das Américas, 700 lj 113-C e D, piso térreo - Barra da Tijuca – Rio de Janeiro).

O botox além de suavizar rugas, também suaviza dores de cabeça

A toxina botulínica também se tornou um meio de melhorar a sua saúde 

As dores de cabeça são companheiras frequentes hoje em dia. O ritmo de vida acelerado gera estresse, ansiedade, depressão e tensão constantes – que, muitas vezes, culminam no incômodo que destrói o bem-estar, a qualidade de vida e o sossego de muitos. A mais comum é, sem dúvida, a cefaleia tensional – dor parecida com a sensação de aperto, pressão na cabeça, como se feita por faixa ou capacete. Ela se divide em duas categorias: a episódica e a crônica. Estudos epidemiológicos apontam a presença marcante da primeira, que acomete 87% da população. Ao longo da vida, há prevalência em 70% dos homens e em quase 90% das mulheres. A dor tende a vir e passar rápido; em alguns casos, porém, pode durar até 15 dias, o que indica algo de errado.
Segundo o especialista em cirurgia buco-maxilo-facial pelo Hospital Federal de Bonsucesso, Bruno Chagas, uma das causas pode ser a contração da musculatura da face devido à sobrecarga emocional. “A cefaléia tensional é uma dor de cabeça que pode ser ocasionada pela contração da musculatura facial. Só de encostar o dedo na região lateral da cabeça, a pessoa sente uma forte dor.
Existe uma sobrecarga emocional descarregada diretamente na região da boca e do rosto, através do apertamento dos dentes”, revela Chagas.
A Psicossomatização pode gerar apertamento dentário ou bruxismo, ambos diferentes, pois o apertamento é silencioso e o bruxismo tem barulho de ranger de dentes.
Isso pode ocorrer por diversos fatores como arcada dentária torta ou ausência de dentes, restaurações dentárias irregulares , próteses mal adaptadas, mudanças de ambientes, hereditariedade, exercícios físicos e dietas.                     
Os estados de estresse emocional, ansiedade, tensão e depressão a que a pessoa é submetida provocam uma psicossomatização das questões emocionais sobre a região da boca e do rosto – e a pessoa, de forma involuntária, em vez de relaxar, descarrega a tensão sobre a região da boca apertando silenciosamente os dentes, o que pode ocorrer de dia ou à noite. Acontecendo à noite, suas intensidade e duração podem ser detectadas pelos exames polissonográficos ou mesmo por pessoas próximas. Por isso, a avaliação da disfuncionalidade ortopédica/ortodôntica craniofacial é um dos caminhos para a solução do problema.
Milena Rangel sofria com a cefaléia, as dores de cabeça eram constantes ao acordar e por vezes em horários aleatórios, se tornando gradativa na maior parte do dia, fazendo com que a dor aliviasse apenas depois de dormir. Ela achava a má alimentação poderia ser uma soma para as dores, até que procurou ajuda especializada e foi indicada ao uso da toxina butolínica. "Nunca imaginei que o botox me trouxesse um bem tão significativo, não sei mais o que é sentir dores constantes", ressalta a jovem.  
Dentre os vários tratamentos indicados para a cefaléia tensional – incluindo intervenções médicas, sobretudo neurológicas, por meio de remédios, como analgésicos –, Chagas conta que a normalização da região dentofacial, morfológica e funcionalmente é a melhor opção,, dependendo se a causa for realmente dessa origem . "Inibindo-se as parafuncionalidades (funções equivocadas da musculatura), as melhorias no conforto e no bem-estar do paciente são significativas”, conclui o especialista.
Crianças, adolescentes e adultos estão sujeitos ao desconforto. Conforme enaltecido, muitas vezes pode ser um problema momentâneo, mas, caso o quadro vá além do normal, é aconselhável que se procure um médico.
Serviço: Dr. Bruno Chagas
Cirurgião Buco Maxilo Facial
@drbrunochagas
(21) 2161-0948
Rua Augusto de Vasconcelos 544, sala 466 – Campo Grande, Rio de Janeiro.

TPM não é frescura

75% das mulheres que menstruam apresentam os efeitos da TPM

Alterações de humor, instabilidade, ansiedade, nervosismo, irritabilidade, cansaço, inchaço abdominal, enjoos, dores de cabeça e pelo corpo são alguns dos sintomas presentes na vida de milhares de mulheres. Essa combinação explosiva, durante o período pré-menstrual, provoca muito estresse, além dos sintomas físicos e psicológicos, agravados pela incompreensão de parceiros, amigos e colegas de trabalho.

Afinal, qual mulher nunca ouviu a pergunta: “está de TPM, é?”. Deixando de lado as provocações, é importante saber que conhecendo melhor o seu corpo e com alguma paciência é possível tornar esse período mais tranquilo. O primeiro passo é incorporar bons hábitos de vida, pois eles são importantes aliados no tratamento dos sintomas da tensão pré-menstrual (TPM). “Realizar uma atividade física, que dê prazer e diminuir o estresse é fundamental. Caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar, ou qualquer outra atividade que mais se adeque à sua rotina. Isso aumenta os níveis de endorfina e serotonina e ajuda na diminuição da tensão, afasta os pensamentos negativos e aumenta o otimismo, além de ajudar a diminuir a irritabilidade”, explica a médica Myrna Campagnoli, diretora médica do Laboratório Frischmann Aisengart.

Estudos recentes do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos apontam que aproximadamente 75% das mulheres que menstruam apresentam os efeitos da TPM durante o período, a maioria de forma leve. Já de 20% a 40% têm a síndrome apresentando sintomas físicos e emocionais moderados, e de 3% a 8% têm a disforia (TDPM ou Transtorno Disfórico Pré-Menstrual), que é a forma grave da TPM.

Myrna Campagnoli, especialista em endocrinologia, comenta que outros fatores ajudam no melhor funcionamento do organismo e no tratamento dos sintomas. “Reduzir o consumo de açúcar, álcool, cafeína, cigarros e sal. Beber bastante líquidos, que pode ser água, sucos e chás como de camomila, hortelã, capim limão e erva doce que são calmantes e ajudam na digestão, além do consumo de alimentos integrais, são mudanças que podem contribuir para a diminuição e até mesmo o combate dos sintomas.

Os alimentos integrais são ricos em vitaminas do complexo B, assim como vegetais escuros e carnes, que diminuem as dores de cabeça e compulsão por doces. “Devemos lembrar que o diagnóstico da tensão pré-menstrual costuma ser demorado, principalmente pela falta de exames que comprovem a sua existência. Nos casos graves de síndrome disfórica pré-menstrual, é necessária uma medicação mais específica. É importante que a mulher consulte um ginecologista e passe por uma avaliação clínica”, cita a médica.

Além das mudanças na alimentação, e da prática de atividades físicas, é importante também ter o descanso adequado, o que contribui para a redução dos sintomas. “Evite agendar muitos compromissos para os dias que antecedem a menstruação”, menciona.

Mais visualizadas na última semana